Polícia prende acusado de matar ex do goleiro Bruno

Do UOL Notícias

Em São Paulo e Belo Horizonte

Marcos Aparecido Santos, conhecido como Bola ou Paulista, apontado como a pessoa que matou a ex-namorada do goleiro Bruno do Flamengo, Eliza Samudio, foi preso na casa de um tio no bairro Copacabana, em Belo Horizonte, por volta das 19h25 desta quinta-feira (8).

O advogado dele, Roberto Assis Nogueira, confirmou que seu cliente optou por ser entregar às autoridades.

O delegado Edson Moreira, responsável pelo caso, considera Santos suspeito com base no depoimento do menor de 17 anos, primo do goleiro Bruno, que descreveu com detalhes o sequestro e a morte da jovem. Segundo ele, Santos estrangulou a moça e jogou partes de seu corpo a cães.

Santos é ex-agente da Polícia Civil de MG, tem 45 anos, adestrava cachorros e dava cursos de sobrevivência. Ontem, dez cães foram apreendidos na casa do suspeito, em Vespasiano (na região metropolitana de Belo Horizonte), onde o assassinato teria sido cometido.

O ex-policial era considerado foragido da Justiça. "Nosso cliente vai falar depois que nós, advogados, tivermos acesso aos autos", disse um dos advogados de Santos. "Ele não vai prestar declaração nenhuma."

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, Santos não deverá ser ouvido hoje pelos policiais - apenas passará pelo exame de corpo de delito.

Além de Santos, o goleiro Bruno e seu amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, estão presos por envolvimento na morte de Eliza, que alegava ter um filho com o atleta. Veja aqui quem são todos os envolvidos no caso.

Investigação
A polícia mineira afirma que elucidou 80% do caso do desaparecimento de Eliza, afirmou mais cedo o delegado. Segundo ele, o crime foi “premeditado, planejado e friamente executado”. O inquérito ainda não foi concluído no Estado.

Já no Rio de Janeiro, onde o caso também é investigado, o goleiro Bruno foi indiciado como mandante do sequestro da moça. Macarrão e o adolescente de 17 anos, apreendido após prestar um depoimento que mudou os rumos da investigação, foram indiciados como executores. Em seguida, o MP vai decidir se apresenta denúncia à Justiça.

O Ministério Público do Rio de Janeiro também denunciou o goleiro e Macarrão pelos crimes de sequestro/cárcere privado e de lesão corporal, pelos crimes cometidos em outubro de 2009, quando os dois sequestraram Eliza e tentaram forçá-la a abortar. A peça será analisada pelo Judiciário e, se recebida, ambos se tornam réus em ação penal pelos crimes.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos