Delegado quer encerrar investigações com acareação entre primos e depoimento de Bruno e de "Macarrão"

Rayder Bragon
Especial para o UOL Notícias
Em Belo Horizonte

O delegado Edson Moreira, chefe do Departamento de Investigações de Minas Gerais que investiga o suposto assassinato de Eliza Samudio, pretende fazer nesta semana acareação entre o adolescente J. e Sérgio Sales, conhecido como “Camelo”. Os dois são primos do goleiro Bruno Souza, e apontados pela polícia como suspeitos no desaparecimento de Eliza Samudio, ex-namorada do atleta. Moreira afirmou neste domingo (18) que as investigações caminham para o seu desfecho.

“Nós estamos na fase final das investigações. Os depoimentos estão fluindo para a conclusão. Tanto é que nesta semana nós pretendemos interrogar o Bruno e (Luiz Henrique Romão) “Macarrão” e depois fazer as costuras finais”, disse.

Sobre a acareação entre os parentes do goleiro, Moreira afirmou que o pedido foi encaminhado à Justiça.

“O menor põe Sérgio na cena do crime, Ele (Sérgio) sai, ficam esse jogo de empurra. Se o juiz autorizar, isso foi pedido pelas delegadas (da delegacia de Homicídios de Contagem, região Metropolitana de BH) Alessandra (Wilke) e Ana Maria (Santos) para fazer uma acareação entre os dois. Se for possível, bom, se não, a versão será mantida”, explicou Moreira.

Nesta semana, os delegados envolvidos no caso esperam receber resultado do exame no sangue encontrado semana passada em colchão e fios de cabelo que estava em cômodo da casa do sítio do jogador, localizado em Esmeraldas, região metropolitana de belo Horizonte. Sérgio Sales ajudou nas investigações e afirmou à polícia ter visto Eliza Samudio no cômodo.

Ex-amante

Ontem, advogado Frederico Franco, que faz parte da equipe que defende o goleiro Bruno e outras cinco pessoas acusadas de envolvimento no suposto assassinato de Eliza, confirmou que a ex-amante do goleiro Fernanda Gomes Castro está em Belo Horizonte.

Fernanda era esperada ontem na Polinter do Andaraí, no Rio de Janeiro, onde seria ouvida pela polícia, mas seus advogados solicitaram adiamento depois que a ex-amante passou mal.

Franco não revelou o motivo pelo qual a equipe de defesa levou Fernanda para Belo Horizonte, mas afirmou que a ação faz parte de uma estratégia que ainda não pode ser revelada.

De acordo com a juíza do 1º Tribunal do Júri de Contagem (MG), Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, o inquérito do Rio de Janeiro foi apensado no de Minas Gerais essa semana. As investigações nos dois Estados continuam a correr paralelamente.

Fernanda teria sido citada em depoimento do menor J., 17, que está internado em Minas Gerais acusado de envolvimento no desaparecimento de Eliza.

Ela teria ajudado no suposto sequestro de Eliza, ainda no Rio de Janeiro, e também a esconder o bebê que Eliza queria provar que era de Bruno. Há registro de que seu carro, um Gol vermelho, deu entrada pelo menos duas vezes no condomínio do Recreio dos Bandeirantes, onde Bruno tem uma casa, entre os dias 4 e 5 de junho, período que Eliza já estaria desaparecida.

Além de Fernanda, Bruno teria se envolvido ainda com a dentista Ingrid Oliveira, que também está sendo investigada pela polícia e deve depor na Polinter.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos