Alex de Jesus/ O Tempo/ AE

Caso Eliza Samudio

Mulher diz que recebeu R$ 50 para entregar bebê; Bruno e Macarrão chegam para depor

Rayder Bragon

Especial para o UOL Notícias
Em Belo Horizonte

Em depoimento prestado à polícia nesta segunda-feira (19), Tayara Julia, 20, afirmou ter recebido R$ 50 para entregar o bebê de Eliza Samudio a uma mulher desconhecida. Tayara é mulher de Cleiton Gonçalves, motorista do goleiro Bruno, que dirigia uma Range Rover pertencente ao atleta onde foram encontrados vestígios de sangue.

Tayara afirmou que recebeu a criança no dia 24 de junho, entregue pelo amigo de Bruno, Wemerson de Souza, o Coxinha, apontado pela polícia como quem escondeu o bebê de cinco meses em Minas Gerais. Segundo Tayara, Coxinha disse que o nome do menino era Rian e que ele a ofereceu R$ 50 para entregar a criança para uma pessoa chamada Geisa, no bairro Liberdade, em Contagem.

“Ela alimentou a criança, deu banho, porque ela estava muito debilitada, chorando muito”, disse o advogado de Tayara na porta do Departamento de Investigações de Belo Horizonte. Cleiton também deve prestar depoimento hoje sobre o caso do desaparecimento de Eliza.

Por volta das 12h, chegaram ao DI o goleiro Bruno e o amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, para prestar depoimento. Eles não falaram com a imprensa. Macarrão foi indiciado por levar Eliza do Rio para Minas.

O advogado Ércio Quaresma, que representa Bruno, voltou a criticar a polícia de MG. “Eu não sei o quanto eles podem ser torturados hoje nesse departamento”, afirmou. “Se eles pararem de pressionar e constranger os meus clientes, eu saio do inquérito.”

Já sobre a troca de advogado da mulher de Bruno, Quaresma disse: “Vai amanhecer amanhã e ela volta a ser minha cliente. Porque a hora que ela tiver ciência da forma com que os advogados conduziram o caso, ela volta”.

Mulher de Bruno quer colaborar
Com a justificativa de que o advogado anterior não a deixava colaborar com as investigações sobre o desaparecimento de Eliza, a mulher do goleiro Bruno, Dayanne Souza, contratou uma nova defesa, afirmou nesta segunda-feira (19) Walker Azevedo, que se identificou como o novo representante.

Azevedo afirmou que a família de Dayanne o procurou depois que Ércio Quaresma Firpe, defensor que também representa Bruno, a impediu de falar o que sabe à polícia. “Ela quer cooperar”, afirmou Azevedo.

Bruno fala sobre o caso
Em vídeo obtido pela TV Globo e exibido ontem, o goleiro Bruno insinua que o amigo Macarrão possa estar envolvido no crime.

As imagens foram captadas durante a viagem do jogador do Rio de Janeiro a Belo Horizonte, em um avião da Polícia Civil mineira. Horas depois de pousar, Bruno e Macarrão foram instruídos por sua defesa a não dar mais declarações.

O vídeo mostra os primeiros comentários do ex-goleiro do Flamengo sobre o caso. O jogador disse que tem “a consciência tranquila” e afirmou não ter “nada a ver com essa história”.

Amigo de Macarrão há quase 18 anos, Bruno disse ainda confiar no seu “irmão”, que lhe presta homenagem nas próprias costas, em uma tatuagem. “Mas essas últimas notícias aí...”, comentou, nas imagens divulgadas pelo programa “Fantástico”. “Eu não sei o que deu na cabeça dele. Hoje com todos os fatos que tem é difícil acreditar nele.”

Segundo o delegado Edson Moreira, o depoimento de todos serviria “para aparar as arestas” que ainda persistem no caso. No entanto, ele afirmou que as investigações “estão fluindo para a conclusão”.

“Nós estamos na fase final das investigações. Os depoimentos estão fluindo para a conclusão. Tanto é que nesta semana nós pretendemos interrogar o Bruno e Macarrão” e depois fazer as costuras finais”, disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos