Polícia de AL investiga militares que liberaram ex-atacante do Flamengo após acidente

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias

Em Maceió

  • Mauricio Val/Vipcomm

    Segundo o Flamengo, o jogador Dênis Marques (dir.) tem contrato com o clube até dezembro, mas "sumiu" há mais de um mês

    Segundo o Flamengo, o jogador Dênis Marques (dir.) tem contrato com o clube até dezembro, mas "sumiu" há mais de um mês

A Polícia Militar de Alagoas abriu investigação nesta segunda-feira (26) para saber por que militares do Batalhão de Policiamento de Trânsito que estavam de plantão nesta madrugada, em Maceió, não efetuaram a prisão do atacante Dênis Marques, ex-atleta do Flamengo.

O jogador dirigia uma Hilux de sua propriedade, ao lado da namorada, quando perdeu o controle do veículo e atingiu duas casas no bairro do Barro Duro, na capital alagoana. Segundo militares que participaram da ocorrência, o jogador se recusou a realizar o teste do bafômetro.

Apesar da recusa, os militares preencheram um documento afirmando que ele estava embriagado e apreenderam a carteira de habilitação do jogador. Dênis Marques teve apenas um corte no supercílio e foi liberado pelos policiais para, supostamente, receber atendimento médico em um hospital particular.

Mesmo com o preenchimento do termo de ocorrência e confirmando a embriaguez, o comandante de Policiamento da Capital, tenente-coronel Mário da Hora, afirmou que o atleta deveria ter sido encaminhado à Central de Polícia Civil logo após receber atendimento médico.

“Tenho que reconhecer que houve uma falha já identificada. Se ele estava ferido, a equipe deveria ter acompanhado a viatura do Samu [serviço de atendimento móvel de urgência] que o levou ao hospital e, em seguida, conduzido o jogador para a delegacia, onde deveria ser autuado em flagrante”, explicou.

Hora explicou ainda que os policiais que participaram da ação devem ser punidos por conta da ocorrência incompleta. “Eles fizeram boa parte dos procedimentos corretamente, mas serão ouvidos pela corregedoria da Polícia Militar. Se comprovada a negligência, eles serão penalizados conforme manda o nosso regimento”, disse. Os nomes dos envolvidos foram mantidos em sigilo.

Ameaças
Segundo o morador de uma das duas casas atingidas, os policiais chegaram a ameaçar o jogador durante a ocorrência. “Eu fui pedir para que ele [Dênis Marques] fizesse o teste de bafômetro, porque dava para ver que ele estava embriagado, e o policial me disse que não era para me meter. Eu disse que isso só estava acontecendo porque era de madrugada e não tinha ninguém da imprensa, e o policial disse: ‘vai preso você e a imprensa’”, teria afirmado o agente.

Já a proprietária da outra casa disse que o policial afirmou que ela deveria entrar em acordo com o jogador, pois ele iria ser liberado e o carro, retirado do local. O carro de Dênis Marques só foi retirado no local na manhã desta segunda-feira.

Marques foi procurado pelos jornalistas durante todo o dia, em Maceió, onde estaria passando férias, mas afirmou que não iria comentar o caso.

O Flamengo afirmou que o jogador tem contrato com o clube até dezembro, mas "sumiu" há mais de um mês. O time carioca anunciou que vai rescindir o contrato do atleta e deve ainda comunicar ao clube japonês Omiya Ardija, dono dos direitos do atacante, a notificação de abandono do emprego.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos