Aeroportos registram 10,3 % de atraso em voos

Do UOL Notícias

Em São Paulo

Os principais aeroportos do país não enfrentam atrasos significativos em voos nesta quarta-feira (4), informou a Infraero. Às 10h, dos voos domésticos programados, 10,3% enfrentavam atraso, o que representa 76 do total de 735 voos agendados que partiram em mais de meia hora do horário inicial.

A Gol ainda é a companhia aérea que registra maior número de atrasos, 16,1 % desde a 0h até as 10h. São 42 voos com problemas e três cancelamentos. A situação, no entanto, já é melhor. Ontem, a companhia chegou a registrar atrasos em 36,7% dos voos. Desde o final de semana, o passageiro enfrentou filas e alguns dormiram nos aeroportos.

Anac recebeu 520 denúncias trabalhistas contra a Gol

O Sindicato Nacional dos Aeronautas registrou na ouvidoria da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) uma manifestação com 520 denúncias trabalhistas contra a Gol, a maioria por carga horária e problemas com escalas de voo

Em nota divulgada na segunda (2), a Gol disse que os voos da empresa vêm sofrendo cancelamentos e atrasos além do normal desde a sexta-feira por conta do intenso tráfego aéreo causado pelo fim das férias escolares e pelos remanejamentos de voos do aeroporto de Congonhas, que fecha as 23h, para o aeroporto de Guarulhos.

Segundo o comandante Gelson Fochesato, presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), o alto índice de atrasos é reflexo de um acordo feito nos últimos dias entre a companhia e o sindicato.

Fochesato afirmou que, depois de três reuniões com a categoria, a Gol concordou no dia 26 de julho em alterar o formato da escala e reduzir o número de voos para cada tripulante a partir de hoje.

“Em julho, acontecem muitos voos extras. As companhias fretam aviões para agências de viagens, há voos de férias. E eles não levam em consideração a capacidade da tripulação. Em agosto, isso deve melhorar, mas o acordo é de que agora os voos extras só serão aceitos dentro da capacidade”, disse.

A Anac informou que pediu explicações a Gol sobre os atrasos e cancelamentos e afirmou que está acompanhando a normalização da situação. Segundo a agência, caso o passageiro não seja atendido pela companhia aérea, ele pode registrar queixa pelo 0800 725 4445 ou pelo site: www.anac.gov.br/faleanac.

“Falha” na lei
De acordo com a Lei do Aeronauta (Lei 7.183/84), por questões de segurança operacional, um tripulante de avião a jato não pode exceder 85 horas de voo por mês, 230 horas por trimestre e 850 horas por ano. O texto também impede que a tripulação que cumpriu três horas de jornada entre 23h e 6h viaje na madrugada do dia seguinte.

Já para o comandante Carlos Camacho, diretor do SNA, as empresas aproveitam uma falha no texto da regulamentação da categoria e obrigam os tripulantes a trabalhar durante várias madrugadas seguidas.

“As empresas se apropriaram de uma falha na regulamentação que permite uma interpretação segundo a qual só não podem ser escalados na madrugada seguinte os tripulantes que voltaram à sua base. O problema é que muitas vezes os trabalhadores viajam de madrugada, mas não voltam para sua base, vão para outras cidades”, diz. “Mas o que está em questão é a condição física do ser humano, e não a cidade para onde o tripulante vai”, afirma.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos