Duas vítimas de acidente em Nova Iguaçu (RJ) continuam internadas; maquinista será ouvido na quinta

Daniel Milazzo
Especial para o UOL Notícias

No Rio de Janeiro

Permanece internada no Hospital Estadual de Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, uma das vítimas do acidente envolvendo um ônibus de passageiros e um trem de carga em Nova Iguaçu na noite da última quinta-feira (12). João Paulo Belarmino da Silva, 23, teve múltiplas fraturas, mas não precisou passar por cirurgia. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro (Sedesc-RJ), João Paulo está se recuperando bem, mas não tem previsão de alta.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Nova Iguaçu, 19 pessoas saíram feridas do acidente. À exceção de João Paulo, todas foram levadas por equipes do Corpo de Bombeiros para o Hospital da Posse. Dezesseis foram liberadas logo no dia seguinte, pois tinham apenas ferimentos leves.

Adriano Henrique da Silva Araújo, 36, motorista do ônibus envolvido no acidente, estava em estado grave devido a um trauma abdominal e teve de ser operado. Ele teve alta no sábado (14). A outra vítima em estado grave foi Maria Elisabete, que também teve de ser operada em razão de trauma abdominal e depois foi transferida para um hospital particular, onde ainda se recupera.

A colisão
O acidente ocorreu por volta das 19h15 da última quinta-feira (12) no cruzamento entre a estrada Luis Lemos e a linha férrea. Um ônibus municipal da viação Tinguá da linha Miguel Couto/Central tentou cruzar os trilhos antes do trem de carga da MRS Logística, composto por 26 vagões, mas não conseguiu fazê-lo a tempo e foi atingido na lateral esquerda da parte traseira, tombando em seguida.

Jesel de Souza Costa, 30, presenciou o acidente quando estava dentro de outro ônibus perto do local. "Foi negligência mesmo do motorista", disse Costa, relatando que o trem estava sinalizando sua aproximação do cruzamento e o motorista do coletivo não brecou. Na intersecção onde houve o choque, não há cancela nem alarme sonoro. Nesse tipo de cruzamento na região, é costume o cobrador do ônibus sair do veículo para cruzar os trilhos a pé e indicar ao motorista se ele pode prosseguir. O ônibus da viação Tinguá operava sem cobrador.

Maquinista será ouvido quinta-feira
De acordo Aguinaldo Ribeiro da Silva, delegado da 58ª DP (Posse), por enquanto o motorista do veículo deve responder por crime de trânsito. No entanto, caso alguma das vítimas do acidente venha a falecer, ele será indiciado por homicídio culposo. Adriano Henrique da Silva Araújo será intimado a depor assim que se recuperar.

Nesta quinta-feira (19), deve depor o maquinista do trem. O delegado pretende ouvir todas as pessoas que estavam no ônibus no momento do acidente. Silva, porém, não considera necessário ouvir um representante da viação Tinguá. “Ao que tudo indica, a responsabilidade é do motorista”, afirma o delegado.

A Polícia Civil possui trinta dias para concluir o inquérito e, em caso de indiciamento, encaminhá-lo ao Ministério Público.

A reportagem tentou entrar em contato com a viação Tinguá, mas não obteve resposta pelos telefonemas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos