Um dos suspeitos de ataque a presidente do TRE-SE está foragido desde 2008, diz polícia

Paulo Rolemberg
Especial para o UOL Notícias

Em Aracaju

  • Ana Lícia Menezes/Jornal Cinform/AE

    Imagem mostra o veículo que transportava o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe, Luiz Mendonça, alvo de um atentado na manhã desta quarta em Aracaju. O governador do Estado descartou motivação eleitoral

    Imagem mostra o veículo que transportava o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe, Luiz Mendonça, alvo de um atentado na manhã desta quarta em Aracaju. O governador do Estado descartou motivação eleitoral

Apontado com um dos suspeitos de ser o mandante do atentado contra o presidente do Tribunal Regional de Sergipe, Luiz Antônio Mendonça, na manhã da última quarta-feira (18), em uma avenida de Aracaju, o empresário Floro Calheiros é fugitivo da Justiça desde o dia 21 de dezembro de 2008. Na época, Calheiros foi resgatado por comparsas de dentro de um hospital da capital sergipana e utilizou um jaleco de médico e uma peruca na fuga.

O suspeito já foi preso duas vezes pela polícia acusado de participação em homicídios, entre eles de um deputado estadual. A primeira fuga aconteceu em 2003 quando ele saiu pela porta da frente de uma delegacia em Aracaju.

Recapturado em janeiro de 2008 em uma fazenda na cidade de Gurupi (TO), Calheiros fugiu 11 meses depois, quando estava internado no hospital. Segundo relato de um dos quatro policiais que faziam a escolta do foragido na época, um homem bateu na porta do quarto, munido de uma pistola, e mandou que todos deitassem no chão –os policiais foram algemados e amordaçados. O circuito interno de TV do hospital registrou a fuga.

Atentado ao TRE
A polícia sergipana trabalha com cinco linhas de investigações e uma delas é a participação de Floro Calheiros no atentado contra Mendonça.

O governador do Estado, Marcelo Déda, declarou no dia do atentado que "há um fugitivo da justiça sergipana, chamado Floro Calheiros, que teria ameaçado de morte não só o desembargador como algumas autoridades sergipanas".

Mendonça foi abordado por quatro homens encapuzados e teve o carro atingido por 37 tiros de armas de pistola e escopeta. O seu motorista, o cabo da Polícia Militar, Jailton Batista, foi atingido na cabeça e está internado em estado grave, respirando com auxílio de aparelhos. Mendonça foi atingido no ombro e por estilhaços de metal e vidro, mas passa bem.

"Nada disso vai inibir meu trabalho"
O presidente do TRE retornou ao trabalho na quinta-feira (19) escoltado por dois carros da Polícia Militar. "O que aconteceu ontem foi passado. Já está desintegrado da memória", disse Mendonça ao sair de casa. O magistrado enfatizou que confia no trabalho das polícias Civil, Militar e Federal, que investigam o crime.

O presidente do TRE disse que o atentado não vai mudar sua rotina. "Quero dizer que nada disso vai inibir meu trabalho."

TJ vai restringir acesso de pessoas
Diante do atentado contra o presidente do TRE, o Tribunal de Justiça de Sergipe decidiu que restringirá o acesso de pessoas ao prédio do Judiciário. A informação foi dada pelo chefe de segurança do órgão, delegado Lúcio Flávio.

"Vamos restringir o acesso de pessoas no prédio do tribunal, mas não revelaremos detalhes por questão de segurança", disse. Na entrada do prédio já existem detectores de metal.

Quanto ao sistema de segurança dos membros do Judiciário, Flávio informou que será feito um novo esquema com constantes mudanças de itinerários e escolta permanente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos