Apagão paralisa Linha 4 do Metrô de SP por quase uma hora

Guilherme Balza
Do UOL Notícias

Em São Paulo

Uma queda total de energia paralisou a circulação de trens na Linha 4 do Metrô de São Paulo no final da manhã desta terça-feira (24). Segundo a assessoria da Via Quatro, consórcio privado que administra a linha, o sistema de eletricidade parou de funcionar às 11h48, e as estações Faria Lima e Paulista foram fechadas.

No momento da falta de energia, dois trens circulavam na linha: uma estava na plataforma da estação Faria Lima e outro no túnel, entre as duas estações. Os passageiros que estavam na estação puderam sair do trem pela própria plataforma.

Já a composição que estava dentro do túnel foi conduzida manualmente --a operação na Linha 4 é automática, sem condutores humanos-- até a estação Paulista, onde os passageiros desembarcaram após dez minutos do início do apagão, de acordo com a Via Quatro. As estações foram abertas aos usuários, e a circulação dos trens restabelecida às 12h37.

Durante o apagão, funcionaram somente as luzes de emergência das estações. Cerca de 10 minutos após o fim da paralisação, a reportagem do UOL Notícias esteve na estação Faria Lima, que já estava funcionando normalmente. Alguns funcionários do local confirmaram o problema, mas não deram mais detalhes do ocorrido.

O consórcio afirmou que ainda não sabe quais foram as causas da queda de energia. A Eletropaulo informou que não houve qualquer problema no fornecimento de energia nas regiões por onde passa a Linha 4. A empresa acredita que o apagão no Metrô tenha sido causado por fatores internos.

A Linha 4
A Linha 4 foi inaugurada em junho deste ano e possui duas estações --Paulista e Faria Lima. Desde a inauguração, a linha funciona em horário reduzido, de segunda a sexta, entre 9h e 15h. O período reduzido é adotado para que sejam feitos os ajustes necessários quando o volume de passageiros é menor.

A previsão inicial da Via Quatro era expandir o horário padrão de funcionamento (entre 5h e 0h30, aproximadamente) até setembro. A Linha 4 é a única em São Paulo na qual os trens são conduzidos sem operadores humanos e a administração é privada.

A previsão é de que duas novas estações sejam abertas na Linha até novembro: Butantã e Pinheiros. Por essas estações, contando com a inauguração de outras duas --Luz e República, que já integram outras linhas da capital-- deverão passar 705 mil passageiros por dia.Com a conclusão da 1ª fase, a Linha 4 terá ligações com as linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha do Metrô e com a Linha 9-Esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

A segunda fase da obra deverá ser entregue até 2014 e terá as estações Vila Sônia, São Paulo-Morumbi, Fradique Coutinho, Oscar Freire e Mackenzie-Higienópolis. Enquanto na primeira fase a frota terá 14 trens, na segunda será formada por 29 composições. Após a conclusão da segunda fase, a estimativa é de 970 mil passageiros diários.

O Metrô de São Paulo

Ficha técnica do Metrô de SP

  Inauguração Passageiros diários Estações Extensão (em km) Trens
Linha 1
Azul
1974 915 mil 23 20,2 306
Linha 2
Verde
1991 276 mil 12 11,7 (+ 3 km em construção) 132
Linha 3
Vermelha
1979 1,08 milhão 18 22 km 282
Linha 4
Amarela
2010 709 mil (após a conclusão da 1ª fase) 2 prontas; 11 em construção 4,9 km (12,8 km quando concluída) 3
Linha 5
Lilás
2002 132 mil 6 (+ 10 em construção) 8,4 km (14 km quando concluída 48
Metrô de SP 1974 2,4 milhões (atual) 58 (atual) 66,9 (atual) 771 (atual)

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos