Com hospitais superlotados, Porto Alegre suspende cirurgias por 48 horas

Especial para o UOL Notícias

Em Porto Alegre

Uma reunião com representantes do governo gaúcho, Ministério Público e sindicato dos médicos decidiu nesta terça-feira (24) suspender por 48 horas todas as cirurgias eletivas (que não são de emergência) nos hospitais do Rio Grande do Sul devido à superlotação das emergências em Porto Alegre.

A medida é a primeira de um pacote de três decisões que tentam minimizar a situação caótica nos hospitais públicos da capital gaúcha, agravada pela onda de calor e pelos reflexos ambientais das queimadas no Norte do país. As emergências, segundo o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), estão com três vezes mais pacientes que leitos.

Além da suspensão das cirurgias, a prefeitura de Porto Alegre deverá disponibilizar vagas no Hospital Parque Belém, administrado pelo município, para pacientes do SUS. A Secretaria Estadual da Saúde, por sua vez, deverá mapear vagas no interior do Estado para deslocar pacientes de outras cidades que estão internados na capital.

"Com essas três medidas, acreditamos que desafogaremos as emergências de Porto Alegre. Mas para evitar que o problema se repita, fixamos outras metas a serem cumpridas em um prazo de 30 dias", explicou a promotora Ângela Rotumo.

Até o fim de setembro, de acordo com a integrante do MP, outras três medidas devem ser tomadas por representantes da saúde. As instalações do Hospital Independência –atualmente fechadas– poderão ser utilizadas pelo Hospital de Clínicas. Caso seja concretizada, a medida garantiria mais cem vagas. O custeio seria do governo estadual, com parceria do Hospital Conceição, gerido pelo governo federal.

O governo do Estado também se comprometeu a analisar a possibilidade de o sistema de saúde público passar a contar com leitos do Hospital Partenon, que atende apenas casos ambulatoriais. A última medida discutida na reunião foi a tentativa de disponibilizar leitos do Hospital Espírita, especializado em doenças mentais e dependentes químicos. A negociação será realizada por meio da Secretária de Saúde de Porto Alegre.

Superlotação
A superlotação das emergências dos hospitais de Porto Alegre, segundo o Simers, ganhou dimensões de calamidade pública. O Hospital Conceição, um dos maiores da cidade, registrava nesta terça-feira (24) 155 pacientes para apenas 49 vagas.

O Hospital São Lucas, mantido pela PUC-RS, registrou 44 pessoas sendo atendidas para 15 vagas disponíveis no setor de emergência. No Hospital de Clínicas, a situação também é grave: são 120 doentes para 49 leitos.

Na Santa Casa, segundo levantamento do sindicato, são quatro vezes mais pacientes do que a emergência do hospital suporta: 32 pessoas para apenas oito leitos. Os pacientes conveniados do Hospital Mãe de Deus, que não atende pelo SUS, também esperam por até quatro horas para serem atendidos.

O secretário municipal da Saúde, Carlos Henrique Casartelli, defendeu uma reestruturação do setor na cidade. "A população deve cobrar esforços do governo do Estado", disse o secretário. Apesar de pressionado, ele negou o pedido de decretação de estado de calamidade pública.

Casartelli informou que o problema é agravado pela migração de pacientes. O secretário disse que 40% dos atendimentos feitos na rede pública de Porto Alegre são para pacientes do interior e da região metropolitana.

A vice-presidente do Simers, Maria Rita de Assis Brasil, ressaltou a necessidade da criação de novos leitos em Porto Alegre. Ela destacou o atraso no processo de instalação das Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) no Estado, que supririam a necessidade de vagas nas emergências. Segundo ela, a greve dos médicos residentes "não atinge a população em geral".

Segundo Maria Rita, a capital perdeu cerca de 30% da s vagas destinadas ao SUS nos últimos anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos