PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Bombeiros retiram mais três corpos de deslizamento em São José dos Campos (SP)

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

11/01/2011 15h08Atualizada em 11/01/2011 18h21


O Corpo de Bombeiros retirou na tarde desta terça-feira (11) mais três corpos dos escombros de um deslizamento de terra que atingiu seis casas no bairro Rio Comprido, em São José dos Campos (91 km de São Paulo), no Vale do Paraíba. Ao todo, cinco mulheres morreram no local. Elas tinham 54, 40, 29, 11 e 3 anos, respectivamente. As buscas pelos desaparecidos no local foram encerradas.

Em todo o Estado de São Paulo, a chuva da madrugada já provocou a morte de 13 pessoas.

Além das cinco mortes em São José dos Campos, três pessoas morreram em um soterramento em Mauá, que também deixou dois feridos; duas pessoas, mãe e filha, morreram no bairro do Jaçanã, na zona norte da capital paulista, após o desmoronamento da casa onde estavam; uma pessoa morreu soterrada em Embu, em região próxima ao bairro do Capão Redondo, na zona sul de São Paulo; um afogamento foi registrado  em Mogi das Cruzes; e um sem-teto foi arrastado pela enxurrada na avenida Nove de Julho, na capital, e morreu afogado. O homem foi socorrido à Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo a Prefeitura de São José dos Campos, o bairro onde aconteceu o deslizamento fica em área de risco e 170 pessoas precisaram deixar suas casas por conta das chuvas. Parte delas foi para casa de amigos e parentes e parte foi para a escola municipal do Rio Comprido. Ainda não se sabe exatamente o número de desabrigados.

O acidente aconteceu devido ao excesso de chuva na noite de ontem, que fez com que um barranco deslizasse e atingisse as residências. 

Duas meninas, Daiane Lucia Oliveira da Cunha, 16, e Thais Cristine Pereira Silva, 13, foram retiradas com vida, ontem à noite, e encaminhadas ao Hospital Municipal de São José dos Campos. Elas permanecem internadas com fraturas.

Alagamentos

Às 15h30, a cidade de São Paulo registrava dois pontos de alagamento ainda ativos: na rua Romão Gomes, perto da avenida Valdemar Ferreira, e na avenida Aricanduva, próximo à rua Ganges. Os dois pontos estão transitáveis.

Durante a forte chuva, a capital chegou a somar 125 alagamentos, segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergência).

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) pede aos motoristas que evitem a região da marginal Tietê hoje. O rodízio de veículos foi suspenso na capital paulista, segundo a assessoria de imprensa do órgão. Segundo a CET, a decisão vale para todo o dia. Além disso, a marginal Pinheiros e a avenida dos Bandeirantes estão liberadas até meio-dia para a circulação de caminhões.

Às 15h30, a cidade tinha apenas 5 km de lentidão, o que representa 0,5% das ruas monitoradas pela CET.

Pontos críticos

  • A chuva forte que atingiu a Região Metropolitana de São Paulo causou 125 pontos de alagamentos registrados pelo CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências). Freguesia do Ó, Casa Verde, Barra Funda, Lapa, Santana e Marginal Tietê foram as áreas com pontos de alagamentos mais críticos

Quantidade de chuva

A chuva que atinge a cidade de São Paulo desde o início do ano já soma 93% do esperado para todo o mês de janeiro, segundo o CGE.

De acordo com o órgão, desde segunda-feira (10) até às 7h da manhã de hoje (11), choveu em média na capital 68,8 mm, o equivalente a 29% para o mês de janeiro. No acumulado do mês, choveu na cidade 221,2 mm, o que equivale a 93% do esperado para o mês, que é de 239 mm.

Em 2010, o volume de chuvas em janeiro foi de 157,3 mm, apenas 66% do esperado para todo mês de janeiro.

Os meteorologistas do CGE afirmam que, no ano passado, houve chuva todos os dias, o que não deve acontecer neste ano.

Cotidiano