Topo

Teresópolis (RJ) confirma 130 mortos e decreta estado de calamidade pública

Do UOL Notícias *

Em São Paulo

2011-01-12T14:54:54

2011-01-12T20:30:18

12/01/2011 14h54Atualizada em 12/01/2011 20h30

Menos de um ano depois da tragédia que matou mais de 160 pessoas em Niterói e outras 250 no Estado, em abril passado, e um ano após as mais de 50 mortes em Angra dos Reis, o Estado do Rio de Janeiro volta a sofrer com desmoronamentos provocados pela chuva. A Defesa Civil de Teresópolis, cidade mais afetada pelos temporais que atingem a região serrana do Rio desde a última segunda-feira (10), confirmou na noite desta quarta-feira (12) a morte de 130 pessoas nos deslizamentos, que atingem principalmente 15 bairros. A Defesa havia informado que eram 131 os mortos, mas corrigiu a informação depois de constatar que um dos soterrados estava, na verdade, vivo. Segundo as autoridades fluminenses, há muitos mortos também nas cidades de Petrópolis e Nova Friburgo.

Até o momento, foram contabilizados cerca de 234 desabrigados e 428 desalojados, 200 feridos e 200 atendimentos de emergência em Teresópolis. Os desabrigados estão sendo encaminhados ao ginásio de esportes da cidade Pedro Jahara, conhecido como "Pedrão" -- mesmo local que está recebendo as doações.

Muitas pessoas ainda estão presas em localidades isoladas, que não podem ser acessadas por automóveis. A Prefeitura de Teresópolis informou que apenas nessas localidades ainda falta luz e água. Nos demais pontos, os serviços já foram restabelecidos.

O prefeito Jorge Mario (PT) assinou durante a tarde o decreto de estado de calamidade pública com o objetivo de pedir recursos emergenciais. Ele, que classificou a tragédia como "a maior catástrofe da história do município", estima que a verba necessária seria da ordem de R$ 100 milhões. 

Nesta quarta-feira, o prefeito esteve reunido com o secretário estadual do Meio Ambiente, Carlos Minc, com a presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, e com o secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves. Espera-se que o ministro de Integração Nacional, Fernando Bezerra, chegue em Teresópolis ainda hoje. 

De acordo com Rodrigo Neves, o governo estadual vai disponibilizar ajuda financeira para as famílias prejudicadas. A presidente do Inea disse que, emergencialmente, estão sendo mobilizados equipamentos, escavadeiras, caminhões e pessoal para ajudar a desentupir os rios do município.

A Secretaria Estadual de Saúde também autorizou a instalação de um hospital de campanha, que provavelmente deve ser montado no centro da cidade, que não foi atingido pelo deslizamento.

Para Minc, "a desgraça seria muito maior" se o governo não tivesse retirado das áreas de risco e dado aluguel social a 200 pessoas, no ano passado. A secretaria municipal de Meio Ambiente informou que o volume de chuvas que atingiu o município durante cinco horas na madrugada foi o equivalente ao esperado no mês. Em 24 horas, foram registrados 140 mm de chuva.

O gabinete de emergência foi acionado pelo prefeito ainda de madrugada e cerca de 800 pessoas estão trabalhando no atendimento aos prejudicados. A expectativa é de que volte a chover, mas não em volume tão grande quanto o que foi registrado durante a madrugada.

Nova Friburgo

Pelos números Defesa Civil de Nova Friburgo, são 97 os mortos na cidade -- parte registrada desde ontem, quando um prédio de pequeno porte desabou sobre casas no bairro de Olaria. Uma mulher também foi levada pela enxurrada dos deslizamentos, e um carro do Corpo de Bombeiros soterrado deixou três bombeiros mortos e três feridos.

Pontos críticos provocados pela chuva no Rio de Janeiro

Clique nos pontos para ver informações sobre a área. Use as setas para escolher novas áreas:

O vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, e o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Pedro Machado, foram a Nova Friburgo avaliar as ações que serão tomadas pelo governo do Estado. Pezão informou, por meio da assessoria de imprensa, que todos os helicópteros do governo, inclusive das polícias Civil e Militar, serão disponibilizados para levar bombeiros e equipamentos para as regiões mais castigadas, que são de difícil acesso.

Cada quartel de bombeiros da capital enviou uma viatura com quatro profissionais para reforçar as corporações da região. Também foi mobilizada uma força-tarefa integrada por bombeiros de duas unidades especializadas, o Grupamento de Busca e Salvamento e o 2º Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente de Magé, com experiência nessas missões, inclusive com atuações destacadas nas tragédias do Haiti, Ilha Grande e morro do Bumba, em Niterói.

Petrópolis

Em Petrópolis, a prefeitura confirma 18 mortes. Segundo o boletim da Defesa Civil da cidade, as primeiras vítimas foram dois idosos que tiveram a casa arrastada pela enchente na localidade da Estrada do Brejal.

As novas mortes foram registradas nas localidades de Vale do Cuiabá, Estrada das Arcas, Gentil, Madame Machado e Brejal, mas os números, ressalva nota oficial, “podem passar dos 40 mortos” --  uma vez que equipes da Defesa Civil local procuram pessoas arrastadas pelas águas na região.

Em alguns pontos, a água no local subiu mais de cinco metros de altura. Muitas casas foram destruídas pela força das águas do rio Santo Antônio. Os principais estragos na cidade de Petrópolis foram também em decorrência de alagamentos.

Conforme a Defesa Civil do Estado, o problema na região acontece sempre que chove muito nos municípios de Teresópolis e Nova Friburgo. A água que desce da serra provoca o transbordamento do rio Santo Antônio, causando grandes alagamentos em toda a região de Itaipava e arredores, deixando os moradores completamente ilhados e causando grandes prejuízos. Homens do 2º Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente de Magé também foram mobilizados -- 30 bombeiros de lá vão atuar nas ações de resgate em Friburgo e Teresópolis.

Marinha

No final da manhã, também pela assessoria de imprensa, o governador do Rio, Sérgio Cabral, solicitou ao comandante da Marinha Brasileira, almirante Júlio Moura, aeronaves para o deslocamento de mais tropas e equipamentos do Corpo de Bombeiros, o que será providenciado pela Marinha. Amanhã (13), Cabral irá à região serrana.

O governador disse em nota lamentar “profundamente a perda de vidas” na tragédia causada pelas chuvas e manifestou solidariedade às famílias, inclusive às dos bombeiros que morreram em Nova Friburgo.

Estradas bloqueadas

As fortes chuvas que atingem as cidades serranas do Rio de Janeiro desde o início da semana provocaram quedas de barreiras, transbordamento de rios e, consequentemente, a interdição e o bloqueio parcial de diversas estradas da região. Segundo a Defesa Civil do Estado, até o momento, as cidades de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo são as mais atingidas.

Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ), os esforços foram redobrados na região serrana por conta dos incidentes, a pedido do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB). O vice-governador Luiz Fernando Pezão deve se encontrar nas próximas horas com o presidente do DER, Henrique Ribeiro, para vistoria nos pontos afetados e avaliação dos problemas. Veja aqui as estradas com problemas.

Conta corrente em Teresópolis

A prefeitura de Teresópolis já disponibiliza, a partir desta quarta, uma conta corrente no Banco do Brasil para receber doações e ajudar as famílias atingidas pelo temporal. Com o nome "SOS Teresópolis -- Donativos", a conta está disponível na Agência 0741 do Banco do Brasil, com o número 110000-9.

Outras doações, como alimentos, roupas, cobertores, colchonetes, além de itens de higiene pessoal -- como sabonete, pasta de dentes, fralda descartável e absorvente higiênico -- podem ser entregues no ginásio Pedrão (rua Tenente Luiz Meirelles, 211 -- Várzea).

* Com informações de Daniel Milazzo, em Teresópolis, Especial para o UOL Notícias

Mais Cotidiano