PUBLICIDADE
Topo

Veja depoimentos de moradores de áreas atingidas pela tragédia das chuvas no RJ

Do UOL Notícias

17/01/2011 19h15

"Eu disse para o meu filho, 'eu posso arrancar a tua perna fora, mas eu vou te tirar daí'. Não tinha a menor chance de eu deixar o Pedro ali, nenhuma."

Magno de Jesus Andrade (esq.), 43 anos, quebrou a perna do próprio filho na tentativa de salvá-lo de um soterramento em sua casa Leia Mais

Leia outros depoimentos

“A gente mora há 11 anos aqui. Caiu já duas vezes. Era um barraco e caiu. O marido construiu a casa. A gente tira a terra aqui atrás para ficar mais seguro” Luiz Carlos Rodrigues, 57, que insiste em viver embaixo de barranco em Nova Friburgo (RJ)Leia mais
“Se eu ficar só pensando na desgraça que aconteceu, eu vou ficar maluca, porque eu perdi nove pessoas da família. Quatro crianças primas minhas morreram. Uma tinha quatro anos” Daniella Faria da Silva, 18 anosLeia mais
''“Vi a destruição do teleférico. Vi tudo, nu e cru, na minha frente. A imagem mais triste do mundo, que nunca vai sair da minha cabeça'' Alcides Adriano ficou 3 horas dentro de um fusca para se proteger da enxurradairo filho desaparecidoLeia mais
''Ele se chama Assis, como eu, e era o mais parecido comigo. Só Deus para explicar de onde tiro forças para buscá-lo'' Assis Mariano Fagundes, sobre a busca pelo terceiro filho desaparecidoLeia mais
"É triste deixar as coisas pra trás, ver a família da gente morrer" Thaís Coimbra da Silva, 21, que perdeu a mãe, tios e sobrinhosLeia mais
"A minha filha falou, 'o importante é a vida'. Eu concordo, mas, por outro lado, eu tenho a minha casa. Ninguém quer deixar um bem seu"Esmeralda Andrade,
57, saiu de casa por iniciativa própria
Leia mais
“Minha casa rachou no meio e ficou pendurada no barranco. A TV foi o único que consegui resgatar”Pedro Ronei, voltou para sua casa
para buscar a TV
Leia mais
"A natureza tem seus momentos de fúria, seus momentos de vingança, por ter sido agredida"Monsenhor Antônio Carlos do Carmo, pároco da igreja matriz de Santa Tereza, em TeresópolisLeia mais
"A gente olhava para o rio e via as duas avenidas, mas sumiu tudo. Um carro parecia uma garrafa pet"Luzia, da rádio comunitária de Nova FriburgoLeia mais
"Nunca vi a morte de tão perto"Gladys Garcia (dir.), de 50 anos, que conseguiu se salvar dos deslizamentos em Nova FriburgoLeia mais
“Pisei na mãozinha dela e percebi que ali tinha alguém. Não dava para ver nada direito porque estava tudo muito escuro, mas a cada relâmpago a gente tinha uma pequena ideia do que estava à nossa volta"Luan Knupp, de 17 anos. Ele tirou dos escombros, em meio à escuridão, uma criança de três anos, ainda viva.Leia mais
“A dificuldade de andar com as pernas tão feridas não se compara à dificuldade de lembrar tudo o que aconteceu naquela noite”Ivone Perciliano, 52 anos, descreve o drama que viveu durante e enxurrada que atingiu Nova FriburgoLeia mais
“Escutei só um tiro, que foi o barulho de um muro caindo. Depois, eram várias pessoas gritando socorro, mas quem fosse tentar salvar ia ser levado junto”Marcelo Martins Soares, 38 anosLeia mais

Cotidiano