PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Superintendência da PF no Amazonas diverge da direção do órgão sobre caso de Bill Gates no Brasil

Paula Litaiff<br>Especial para o UOL Notícias

Em Manaus

19/04/2011 21h34Atualizada em 19/04/2011 21h50

Após informações de que o empresário Bill Gates, pai do Windows e da Microsoft , teria deixado o Brasil na madrugada desta terça-feira (19) depois que sua equipe foi notificada pela Polícia Federal no Amazonas, as PFs do Estado e de Brasília divergem sobre a questão. Na última sexta-feira (15), um grupo de sete pessoas que estavam com Gates foi detido durante um passeio de barco no rio Negro, próximo a Manaus,por falta de um visto específico para este tipo de atividade. Todos tinham o visto de turismo. 

Em nota, a PF de Amazonas afirma que “em razão da divergência documental, que no Brasil caracteriza infração administrativa, os 7 tripulantes – todos de nacionalidade norte-americana–, foram autuados e notificados para deixar o país em 3 dias, conforme preceitua a Lei 6.815/80”. O grupo teria embarcado às 2h de hoje num voo com destino a  Miami.

Já a PF de Brasília informou que o grupo de Gates se regularizou e que permanece no país após a notificação. Em entrevista ao site do jornal “A Crítica”, o superintendente da PF, Sérgio Fontes, disse que após a detenção e notificação dos sete tripulantes do iate “Silver Cloud”, que compõe a comitiva de Gates, o grupo deixou o Brasil em menos de 24 horas para regularizar a situação do visto e retornou. Fontes afirma que Gates estava com a situação regularizada e não deixou o Brasil.

Por outro lado, informações do hotel onde estava o empresário e a equipe dão conta que ele deixou o Amazonas nessa madrugada. A informação foi confirmada por fontes que atuam no setor de migração da Polícia Federal no Amazonas.

Não é a primeira vez que Gates passa férias no Amazonas –ele já esteve no Estado em 2007 e 2009. Nas duas viagens, ficou em hotéis de selva na zona rural de Manaus ou em cidades do interior do Amazonas.

Cotidiano