PUBLICIDADE
Topo

Greve de bombeiros para aeroporto de Maceió, suspende voos e revolta passageiros

Aliny Gama<br>Especial para o UOL Notícias

Em Maceió

11/05/2011 13h26Atualizada em 11/05/2011 15h56

Todos os pousos e decolagens do aeroporto internacional Zumbi dos Palmares, em Maceió (AL), estão suspensos nesta quarta-feira (10). O motivo é a falta de militares do Corpo de Bombeiros, que iniciaram greve de advertência por 48 horas.

No aeroporto, os painéis apontam que todos os vôos do fim da manhã e do início da tarde estão “atrasados” ou informam ao passageiro que “procure cia aérea”. A superintendência do aeroporto não foi encontrada no local para informar sobre procedimentos, mas os funcionários confirmam que não há previsão de chegada e partida de voos.

Os nove voos que deveriam chegar até às 16 horas estão desviando a rota por aeroportos como o de Recife e Aracaju. Já os três que deveriam partir até as 12h55 estão atrasados.

De acordo com norma internacional, os voos só podem partir e chegar com a presença de pelo menos oito oficiais bombeiros treinados para salvamento, em caso de acidentes com as aeronaves.

Pegos de surpresa, dezenas de passageiros se aglomeraram no pátio do aeroporto e nos balcões das companhias aéreas em busca de informações, mas ainda não há uma previsão precisa de quando os vôos devem ser retomados. A maior reclamação é pela falta de informações.

O casal Natália Ronagueira e Carlos Eduardo Sampaio, administradores de empresa, era um dos passageiros afetados pelo cancelamento do voo de 13h30, pela TAM, com destino ao Rio de Janeiro, onde faria conexão às 21h50 para Miami.

“Ninguém informa nada no guichê da TAM. Estou indignado. Não se fala nada, e podemos perder compromissos importantes. Estamos tentando ir para Recife”, disse Carlos.

Por telefone, a TAM em Maceió informou que todos os voos da companhia que partiriam nesta tarde do aeroporto estão cancelados. Não havia detalhes sobre realocação de passageiros.

Já a companhia Aeroturismo conformou que todos as companhias paralisaram as atividades nesta quarta-feira e não há previsão de retorno. Muitos passageiros que têm urgência estão sendo relocados para voos saindo de Recife.

Paralisação

Os serviços do Corpo de Bombeiros estão parcialmente suspensos por conta da paralisação de 48 horas, que teve início às 7h desta quarta-feira e deve seguir até a o início da manhã da sexta-feira (13).

Segundo líderes do movimento classista, os bombeiros do aeroporto aderiram à mobilização e não foram ao trabalho. Outros militares, tanto do Corpo de Bombeiros, quanto da Polícia Militar, também aderiram ao movimento. Porém, segundo o comandante de Policiamento da Capital, coronel Gilmar Batinga, todas as viaturas estão na rua normalmente. O Corpo de Bombeiros não se pronunciou. 

A categoria reivindica o pagamento de 7%, que estariam pendentes do acordo com o governo anterior, e as correções de cinco anos sem reajuste salarial.

Infraero

O superintendente da Infraero Adilson Pereira da Silva informou que tomou conhecimento que a greve dos militares havia afetado o funcionamento do aeroporto Zumbi dos Palmares às 10h, quando um comandante resolveu pousar e depois decolar mesmo sem a brigada de incêndio do Corpo de Bombeiros no aeroporto.

Segundo Silva, o aeroporto está com apenas um bombeiro de plantão, o que não é suficiente para operação de voos. "Elaborei documento informativo para a empresa e a chamei todos os representantes das companhias para que eles ficassem a par da situação, mas mostrei que estávamos agindo em busca de uma solução para normalizar os voos até o final desta tarde. Os voos podem até acontecer sem a presença dos bombeiros, mas o comandante e a companhia aérea são responsáveis pelo risco de operarem sem uma brigada de incêndio". Após a oficialização da greve dos militares lotados no aeroporto, nenhuma companhia aérea preferiu arriscar a responsabilidade sobre pousos e decolagens nesta manhã.

Segundo Silva, dez profissionais habilitados em curso de incêndio da Infrarero estão indo para Alagoas para trabalhar no lugar dos militares. Ele afirma que, assim que esses funcionários chegarem, os pousos e decolagens no aeroporto Zumbi dos Palmares serão liberados.

"A greve pode até acontecer, mas quando os funcionários da empresa chegarem não vai mais afetar o trabalho aqui do aeroporto. Eles são habilitados em cursos de incêndio da Anac e vão normalizar a situação", avisa o superintendente. Os funcionários foram realocados das regionais Nordeste e Salvador. "O governo do Estado liberou um avião de pequeno porte para o transporte desses homens. Parte deles está vindo de avião, e parte está vindo de carro."

O superintendente destacou ainda que mobilizou equipes para prestar esclarecimentos aos passageiros que estavam no aeroporto esperando viajar. "Temos profissionais circulando no saguão, devidamente identificados com coletes, para dar as informações necessárias aos passageiros."

De acordo com dados da Infraero, o aeroporto internacional Zumbi dos Palmares tem um fluxo de 4.000 passageiros por dia e recebe 27 voos diários, sendo que 16 são operados pelas grandes companhias aéreas.

Cotidiano