PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

PM do Rio afasta do cargo coronel que visitou policial suspeito de pertencer à milícia

Hanrrikson de Andrade

Especial para o UOL Notícias <br> No Rio de Janeiro

02/06/2011 19h21

A Polícia Militar do Rio de Janeiro informou nesta quinta-feira (2) que o coronel Marcos Alexandre, comandante do 5º CPA de Volta Redonda, na região sul-fluminense, foi afastado do cargo depois da denúncia de que ele visitou na cadeia o sargento Marcos Vieira de Souza, o Falcon, acusado de ter ligações com grupos milicianos.

Alexandre é o primeiro oficial afastado desde que a imprensa noticiou a falta de rigor nas visitas ao sargento. Em apenas três semanas, de acordo com uma lista elaborada pela PM, mais de 160 pessoas visitaram Falcon na penitenciária do Batalhão de Choque, no Estácio, zona norte do Rio. O suspeito foi preso no dia 14 de abril.

Segundo a Polícia Militar, Alexandre, que está na corporação há 31 anos, recebeu uma medida administrativa e por isso deixou de cumprir suas funções em caráter temporário. Caso as investigações sobre as visitas a Falcon não determinem uma ligação entre os policiais além da afetiva, o coronel retomará o cargo normalmente.

A PM entende que o afastamento ocorre "para que seja garantida a isenção no processo de análise e investigação".

Há sete semanas, Falcon foi detido pela Corregedoria Interna da Polícia Civil depois de conduzir à Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) um criminoso conhecido como Paulinho do Gás, também suspeito de integrar a máfia das milícias. Os agentes da Coinpol encontraram no carro do acusado mais de R$ 30 mil, além de armas e munição.

Também serão investigados pela Corregedoria outros policiais civis e militares, entre os quais delegados e coronéis, que visitaram o suspeito desde a data da prisão.

Cotidiano