Topo

Prefeitura determina que Oi retire cabines telefônicas de Ipanema (RJ)

Fabíola Ortiz<br> Especial para o UOL Notícias

No Rio de Janeiro

2011-07-12T16:01:03

2011-07-13T13:17:28

12/07/2011 16h01Atualizada em 13/07/2011 13h17

As novas cabines telefônicas da empresa de telefonia Oi, instaladas há uma semana no bairro de Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro, terão de ser retiradas até o final da tarde desta terça-feira (12) por determinação da Prefeitura do Rio. A sua forma estética desagradou a muitos moradores e frequentadores do bairro.

Na última semana, nove orelhões em fase de teste foram colocados ao longo da avenida Visconde Pirajá, a mais movimentada do bairro. A instalação, segundo informou a concessionária Oi, era um projeto piloto, que oferecia internet wi-fi, serviços de telefonia fixa e conexão gratuita de internet sem fio para laptops, netbooks, smartphones e outros gadgets em um raio de 50 metros.

No entanto, uma vistoria da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, na manhã de segunda-feira (11), constatou um “impacto visual e de circulação das nove cabines instaladas".

A Prefeitura havia expedido uma licença em caráter experimental para a realização de testes de novos equipamentos de telefonia e internet que substituiriam os antigos orelhões, que segundo constatou a reportagem do UOL Notícias estão em péssimas condições.

Depois da vistoria, a Comissão Coordenadora de Obras e Reparos em Vias Públicas da Secretaria resolveu cancelar a licença e determinou a retirada das referidas cabines pela empresa concessionária no prazo de 24 horas.

O UOL Notícias esteve na manhã desta terça-feira (12) em Ipanema e verificou que técnicos da Oi estavam em algumas cabines providenciando a sua retirada. Segundo um técnico da concessionária, que não quis se identificar, na primeira fase foram colocadas nove cabines de um total de 15 previstas.

Cabine polêmica

As cabines dividem opiniões entres os frequentadores do bairro. “Isso aqui é um trambolho. De identidade visual não tem nada. O bairro precisava de telefone, mas não tem privacidade nem funcionalidade. Serve para os pichadores, para esconder droga no compartimento de cima e para os cachorros fazerem xixi. Não tem comodidade nenhuma”, criticou Fábio Griciunas, 55.

Para o porteiro Francisco Damasceno, 62, apesar de não ter um aspecto feio, a cabine parece ser frágil. “É até bonita a cabine, mas é desprotegida. No país que a gente vive com vandalismo, não vai durar muito”, disse.

“São horríveis e não devem ser confortáveis”, afirmou Marcos Pires, 55, morador de Ipanema há 12 anos.

Segundo a concessionária Oi, as cabines de internet wi-fi gratuita em fase de teste serão retiradas dentro do prazo. "O projeto será reavaliado e, somente após alinhamento com as diretrizes estabelecidas pela Prefeitura do Rio de Janeiro, poderá ser retomado”, informou em comunicado da empresa.

Em nota a empresa disse que, nos seis primeiros meses de 2011, em média 14% dos 91,7 mil orelhões instalados no Estado do Rio foram danificados por atos de vandalismo. No mesmo período, a companhia realizou a substituição de cerca de 250 campânulas dos orelhões por mês. Ainda segundo a Oi, 99,8% dos pedidos de reparo foram atendidos em até 8 horas.