Topo

Linha 4-amarela do metrô de SP passa a funcionar aos domingos a partir deste fim de semana

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

2011-10-14T13:24:09

14/10/2011 13h24

As estações da linha 4-amarela do metrô de São Paulo passam a funcionar aos domingos do próximo fim de semana. Todas as estações funcionarão das 4h40 à meia-noite, da mesma forma que a operação comercial das demais quatro linhas metroviárias da capital paulista.

Já estão em funcionamento na linha 4 as estações Butantã, Pinheiros, Faria Lima, Paulista, República e Luz. Atualmente, a linha transporta aproximadamente 425 mil passageiros por dia. Segundo o metrô, com a abertura das estações Luz e República no mês passado, que permitem conexões com as linhas 1-azul e 3-vermelha, foi registrada a redução de 12% do fluxo de passageiros na estação Sé, e de 30% na Paraíso.

Na segunda etapa da linha 4, prevista para 2013/14, deverão ser entregues as estações Fradique Coutinho, Oscar Freire, São Paulo-Morumbi, Higienópolis-Mackenzie e, possivelmente, Vila Sônia, conforme o Metrô. Com a conclusão desta fase, a demanda da linha 4-amarela é estimada em 970 mil passageiros por dia.

Veja quais são as estações da linha 4-amarela do metrô

Atrasos nas obras

A inauguração das estações Luz e República marcaram a conclusão da primeira fase da linha 4-amarela, que também incluem as operações nos trechos Butantã, Pinheiros, Faria Lima e Paulista. As obras, no entanto, tiveram diversos atrasos.

Mudanças no cronograma da linha 4-amarela do metrô

2001: Primeira licitação, com conclusão das obras da primeira fase -com a inauguração das estações Luz, República, Paulista, Faria Lima, Pinheiros e Butantã- previstas para 2006

2007: Mesmo que inicialmente o governo do Estado tenha anunciado que a tragédia que matou sete pessoas em janeiro de 2007 com a abertura de uma cratera em Pinheiros não afetaria o cronograma das obras, as conclusões da primeira fase foram prorrogadas para 2009

2009: O fim das obras foi adiado para 2010 por causa de problemas técnicos e por testes nos novos trens

2010: Apenas duas das seis estações -Paulista e Faria Lima- foram inauguradas

2011: As outras quatro estações foram inauguradas gradativamente: Butantã, Pinheiros, Luz e República

2014: Previsão para a conclusão das obras da segunda fase, com seis estações

Segundo o cronograma da primeira licitação do projeto, a conclusão desta primeira fase estava prevista para 2006.

Mas, com a troca de licitação, problemas técnicos, operacionais e até mesmo a cratera em Pinheiros --que matou sete pessoas em janeiro de 2007--, as obras foram concluídas cinco anos depois. 

O prazo para o término da segunda fase, que prevê a inauguração de outras cinco estações (Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, Fradique Coutinho, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia), ganhou mais dois anos e está previsto para 2014.

Panes e falhas

A Linha 4 é a única do Metrô de São Paulo operada por uma empresa privada. O sistema da linha é todo automatizado, e os trens são operados por computadores (tecnologia driverless).

Desde que foi inaugurada, a linha vem sofrendo problemas constantes, que vão desde pequenas panes até a superlotação das estações

As últimas ocorreram nos dias 30 de setembro e 3 e 5 de outubro.  No dia 30, uma falha de comunicação entre trens e o controle central deixou usuários esperando até 30 minutos nas plataformas.

No dia 3, uma falha no sistema de sinalização dos trens fechou todas as estações por mais de três horas e prejudicou 75 mil usuários, que ficaram a pé.

Já no dia 5, uma composição sofreu uma pane na estação Paulista, sentido Luz, e provocou atrasos na circulação dos trens entre 16h25 e 17h09

*Com informações da Agência Estado

Mais Cotidiano