Topo

De 8.8.2008 a 11.11.2011, ciclista mineiro retorna a Belo Horizonte após giro por 59 países

Rayder Bragon<br>Especial para o UOL Notícias<BR>Em Belo Horizonte

2011-11-11T18:40:40

11/11/2011 18h40

O mineiro Danilo Perrotti Machado, 30, chegou à praça da Liberdade, em Belo Horizonte, às 11h11 desta sexta-feira (11.11.2011), após périplo por 59 países, na maior parte do tempo em cima de uma bicicleta, que foi a sua companheira por três anos, três meses e três dias. O administrador de empresas havia saído do mesmo local em 8.8.2008.

Questionado sobre a coincidência, Machado afirmou que escolheu a data de retorno por considerá-la harmônica. “As pessoas precisam respeitar a cultura do outro. É um número de data que escolhi para tudo ficar harmônico", justificou o aventureiro, que batizou a empreitada de “Projeto Homem Livre”. Machado disse que acreditou “o tempo todo” que conseguiria alcançar o seu objetivo.

“Eu não fui passear. Eu fui acreditando muito naquilo que estava fazendo e trabalhei muito nisso”, explicou, afirmando ter rodado 50 mil quilômetros e visitado 59 países. Segundo ele, o projeto foi feito em oito etapas, compreendendo os cinco continentes. Ele embarcava em um avião e, após desembarcar no seu destino, eram 100 quilômetros diários pedalando.

“Eu voava para alguma capital e, de lá, começava a percorrer de bicicleta”, disse, para complementar afirmando que a aventura foi custeada somente por ele e a família. Machado afirmou que em poucos lugares precisou se locomover de avião por conta de risco à sua integridade física.

“No Iêmen, eu tive que pegar avião, porque tinha um problema de guerrilha. A polícia de lá me avisou que estavam sequestrando estrangeiros. No Paquistão, eu tive de percorrer um trecho com escolta policial.”

Mão esquerda

Danilo Machado contou ao UOL Notícias que foi alertado em países islâmicos sobre o fato de ser canhoto. “Nos países islâmicos, a mão esquerda somente é usada para a higiene pessoal. As pessoas viviam o tempo todo se espantando com o fato de eu usá-la para me alimentar. Diziam para mim: você está comendo com a mão impura, a mão suja’”, disse.

O aventureiro afirmou que o equipamento mais imprescindível que levou consigo na viagem foi o “amor”. “O fundamental é levar amor naquilo que você está fazendo. Coragem, determinação e foco foram essenciais. O resto, como mochila e outros equipamentos, são superficiais.”

No entanto, o ciclista contou com um GPS, uma barraca, utensílios para cozinhar, além de um kit de primeiros socorros e netbook, mapas e roupas de inverno. Ele não carregou nada nas costas, tudo foi transportado em bolsas acopladas à bicicleta feita especialmente sob medida para a sua altura e peso.

Machado disse que, no geral, a viagem “correu como tinha de correr” e não destacou nenhum momento, em especial, no qual tenha passado por alguma dificuldade. “Eu comia o que tinha nos lugares. Não tive uma alimentação de atleta nem nada preparado especialmente para a viagem”, explicou.

A intenção do aventureiro é transformar a viagem em um documentário, a ser lançado em 2012, um livro de fotos.  “O que eu mais senti saudade foi do pão de queijo e do doce de leite”, disse. "Mas queria ver o mundo com meus próprio olhos."

Confira abaixo as rotas e as quilometragens que Machado diz ter percorrido, fornecido por sua assessoria de imprensa:

1° etapa – Partida (08.08.2008 BH- Rio de Janeiro) - Estrada Real até a cidade do Rio de Janeiro. Total: 539,79 km

2° etapa – Europa (26.08.2008 – 22.04.2009): Do Rio de Janeiro, ele embarcou para a Europa, iniciando a 2ª etapa, por onde passou por 17 países: Inglaterra, Holanda, Alemanha,Dinamarca, Noruega, Suécia, Republica Tcheca, Áustria, Eslovênia, Croácia, Bósnia Herzegovina, Servia, Kosovo, Macedônia, Albânia, Grécia até chegar à Itália. Total: 9.436,76 km

3° etapa – Oriente Médio e África (23.04.2009 – 13.09.2009): A 3ª etapa, contemplou o Oriente Médio e a África, com início na Turquia e finalizando nos Emirados Árabes. Nessa fase, foram percorridos nove países: Turquia, Chipre, Israel, Jordânia, Egito, Sudão, Iêmen, Oman e Emirados Árabes Unidos. Total: 5.175,70 km

4° etapa – Ásia (14.09.2009 – 31.08.2010): A Ásia, onde foi percorrida a 4ª etapa da viagem, começou no Irã, terminando no Timor Leste, quando o ciclista afirma ter  pedalado por quase 1 ano, cruzando 17 fronteiras:  Irã, Paquistão, Índia, Nepal, Bangladesh, Sri Lanka, Tailândia, Laos, China, Kong Hong, Macau, Vietnã, Cambodia, Malásia, Singapura, Indonésia, Timor  Leste. Total: 17.349,31 km.

5° etapa – Oceania (01.09.2010 – 24.12.2010): Na fase seguinte, Oceania, dois países foram percorridos: Austrália e Nova Zelândia. Total: 5.133,87 km.

6° etapa – América do Norte (25.12.2010 – 04.03.2011): Canadá e Estados Unidos da América foram os países percorridos na 6ª etapa, pela América do Norte. Total: 2.996,57 km

7° etapa – América Central (05.03.2010 – 20.05.2011): A 7ª etapa se iniciou no México, ainda na América do Norte, para depois percorrer países da América Central, como Honduras e Nicarágua, e chegando ao Panamá, totalizando oito países. Total: 4.875,20 km

8° etapa – América do Sul (21.05.2011 – 11.11.2011): A 8ª e última etapa – na América do Sul - teve início na Colômbia, passando por Equador e Peru, entrando no Brasil pela Floresta Amazônica. Total: 4.924,61 km.

Mais Cotidiano