PUBLICIDADE
Topo

Polícia encontra R$ 2 milhões escondidos em esgoto de apartamento de luxo no Rio

Hanrrikson de Andrade

Do UOL Notícias, no Rio de Janeiro

20/12/2011 12h19

A Polícia Civil do Rio de Janeiro apreendeu na manhã desta terça-feira (20) bens do tio de Hélio de Oliveira, presidente da escola de samba Acadêmicos do Grande Rio e acusado de chefiar uma quadrilha do jogo do bicho.

Em um apartamento de luxo na Barra da Tijuca, na zona oeste da capital, os agentes encontraram dinheiro escondido nas paredes, no sistema de esgoto do imóvel, em um carrinho de supermercado e em esconderijos situados em outros cômodos da casa.

No imóvel, além de várias notas de R$ 50 e R$ 100, foram encontrados cerca de 2.900 euros e um cheque picotado no valor de R$ 2 milhões.

A fortuna foi apresentada pela Polícia Civil e seguirá ainda hoje para uma agência bancária a fim de ser contabilizada. Em seguida, o valor final da apreensão será depositado em uma conta do governo do Estado e poderá ser utilizado como prova em um futuro processo judicial contra os acusados.

O tio de Hélio de Oliveira, o Helinho, foi identificado como Adílson Coutinho de Oliveira. O proprietário do apartamento também é acusado de pertencer ao esquema de contravenção. No local, os policiais da Corregedoria da Polícia Civil apreenderam ainda uma réplica de uma submetralhadora AK-47, além de joias, documentos e outros materiais.

Segundo agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), que também participaram da continuidade da megaoperação "Dedo de Deus" (deflagrada na semana passada para desarticular quadrilhas do jogo do bicho no Estado), a equipe pernoitou na porta do imóvel aguardando um mandado de busca e apreensão no plantão judiciário.

Enquanto isso, segundo as forças policiais, um advogado da família de Helinho aproveitou a madrugada para supostamente destruir provas. Ele foi preso.

Também foi detido na manhã desta terça-feira (20) o tenente da PM João André Ferreira, lotado na Diretoria Geral de Pessoal e acusado de participar do esquema de contravenção. Ele foi localizado em casa e, de acordo com as informações da polícia, não ofereceu resistência.

Outro policial militar, identificado como Adriano Magalhães da Nóbrega, é considerado foragido. Há mandados de prisão contra o suspeito.

Procurado, Hélio de Oliveira é um dos principais alvos da megaoperação "Dedo de Deus", que na última quinta-feira (15) resultou na prisão de 44 pessoas em seis cidades do Rio de Janeiro, entre as quais o ex-prefeito de Teresópolis, Mário de Oliveira Tricano.

Outros dois presidentes de escolas de samba são procurados: Anísio Abraão David, patrono da Beija-Blor de Nilópolis, e Luizinho Drummond, que administra a Imperatriz Leopoldinense.

Na luxuosa mansão de Anísio Abraão David, os policiais apreenderam mais de R$ 500 mil, obras de arte, joias, documentos, entre outros materiais.

Cena de cinema

Para entrar no imóvel do presidente da Beija-Flor de Nilópolis, localizado na avenida Atlântica, em Copacabana, na zona sul do Rio, os agentes da Core utilizaram a técnica de rapel com o apoio de helicópteros da Polícia Civil. A cena atraiu a curiosidade das pessoas que transitavam pelo local.

Das 44 pessoas detidas na semana passada, três foram localizados em Estados do Nordeste - Pernambuco, Bahia e Maranhão -, e os demais no Estado do Rio de Janeiro.

A quadrilha é responsável por promover uma modernização do tradicional jogo de azar, o que inclui a captação eletrônica das apostas do jogo do bicho por meio de máquinas semelhantes às das operadoras de cartão de crédito -- cada equipamento é avaliado em R$ 1.200.

Os criminosos responderão pelos crimes de contravenção, corrupção ativa e passiva, e formação de quadrilha armada. Se condenados, eles podem receber penas de até 45 anos de prisão.

Cotidiano