PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Ato pró-moradores do Pinheirinho reúne 3.000 em São José dos Campos (SP), diz organização

Guilherme Balza

Do UOL, em São Paulo

02/02/2012 15h23Atualizada em 02/02/2012 15h30

Manifestação em defesa dos moradores da comunidade Pinheirinho, em São José dos Campos (SP), reuniu cerca de 3.000 pessoas nesta quinta-feira (2), segundo Antonio Donizete, advogado que defende as famílias despejadas no último dia 22. Já Polícia MIlitar estimou 1.500 manifestantes.

O ato começou por volta de 9h na praça Afonso Pena e percorreu vias do centro. Agentes de trânsito acompanharam a passeata e interditaram a rua 15 de novembro. O protesto congestionou o trânsito em algumas avenidas, como a São José e a João Guilhermino.

Além dos moradores do Pinheirinho, participaram do protesto militantes de partidos de esquerda (PSTU, PSOL, PCB e PT), de sindicatos, movimentos populares e do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra), que levou 500 manifestantes em dez ônibus.

Por volta de 14h, os manifestantes chegaram até o destino final do ato: a sede da Prefeitura de São José dos Campos, que fica no anel viário, a via mais importante da cidade, que chegou a ser interditada.

A Polícia Militar acompanhou o protesto. Segundo a prefeitura, a PM e a própria organização do ato, não houve incidentes. “A gente não quer mais confusão com a polícia e com a Guarda Civil. Nossa exigência é a desapropriação do terreno do Pinheirinho e melhorias nos abrigos onde estão as famílias”, afirmou Donizete.

Às 15h, os manifestantes se dirigiram até o terreno do Pinheirinho, onde o MST distribuirá às famílias despejadas produtos da reforma agrária. O movimento levou a São José quatro caminhões de alimentos, como arroz, feijão, frutas e legumes.

Cotidiano