Topo

Rio Negro ainda pode subir mais 35 centímetros até o final de junho, diz serviço geológico no AM

Emily Ribeiro

Do UOL, em Manaus

16/05/2012 13h23

O nível do rio Negro, que nesta quarta-feira (16) chegou a 29,78 metros, o mais alto dos últimos 110 anos, pode subir ainda mais nas próximas semanas. A informação é da Superintendência Regional do Serviço Geológico do Brasil no Amazonas (CPRM-AM). Segundo o órgão, o nível pode chegar a 30,13 metros até o final de junho, o que corresponde a 35 centímetros além da marca atual.

De acordo com o diretor de hidrologia do CPRM-AM, Daniel Oliveira, 77% das cheias máximas são registradas em junho, quando termina o período das chuvas na bacia do rio Negro. “São três meses de chuva, abril, maio e junho. Hoje (quarta 16) ainda é o primeiro dia da segunda quinzena do segundo mês, deve vir muita chuva por aí”, disse.

Oliveira informou que o período de chuva na bacia do rio Solimões está acabando, mas que isso não influenciará na redução no nível do rio Negro justamente porque o período de chuvas dos dois rios é diferente.

Segundo informações da Defesa Civil do Estado, até o momento, são 52 municípios em Estado de Emergência, a maior parte deles no Alto Solimões. Outras duas cidades, Careiro e Anamã, estão em análise para decretação de Estado de Calamidade Pública. Ao todo, são 77.348 famílias atingidas. O Amazonas tem 61 municípios.

Em Manaus,  a cheia já atinge 13 bairros próximos ao rio e a igarapés e chegou ao Centro de Manaus, obrigando o fechamento de diversos comércios. Segundo a assessoria da Defesa Civil, são mais de 16.325 moradores com suas casas atingidas pela cheia.

O chefe do Serviço Hidrográfico do Porto de Manaus, Valderino Pereira da Silva, responsável pela medição há 23 anos, acompanha de perto os prejuízos causados pela cheia no centro de Manaus. “Está tudo um caos, comércio, fluxo de pessoas, trânsito. Acompanho todos os dias reclamações das mais variadas. Tem gente que vem aqui na régua só me perguntar quando que o rio vai começar a baixar”, disse.

Amazonas Solidário

A Defesa Civil informou que o Estado já distribuiu 130 mil toneladas de cestas básicas, kits de higiene pessoal, de limpeza, de medicamentos, filtros microbiológicos e hipoclorito de sódio para purificar a água para o consumo.

O governo do Estado também já distribuiu 32.290 Cartões “Amazonas Solidário”, uma espécie de benefício emergencial onde é disponibilizada a quantia de R$ 400 à famílias de 24 municípios atingidos pela enchente.

Além disso, a prefeitura também intensifica trabalhos de limpeza dos igarapés e retirada de lixo de áreas alagadas. Segundo dados da Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), até ontem, haviam sido retiradas 228 toneladas de lixos dos igarapés.

Passarelas de madeira e sacos de areia também tem sido colocado pelas ruas para servir de calçadas nos bairros de Manaus e no centro da cidade. Em visita a Manaus nesta terça-feira (15), o vice-presidente da República, Michel Temer, disse que o governo federal vai auxiliar a implementação do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), que visa a retirar famílias que são frequentemente atingidas pelas cheias dos rios.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Cotidiano