Topo

Rio+20 terá esquema de trânsito semelhante ao do Rock in Rio; comprovante de residência será pedido a moradores

Por causa do engarrafamento, o ônibus oficial exclusivo para a Rio +20 leva uma hora e 32 minutos do Leblon ao Riocentro - Marco Antonio Teixeira/UOL
Por causa do engarrafamento, o ônibus oficial exclusivo para a Rio +20 leva uma hora e 32 minutos do Leblon ao Riocentro Imagem: Marco Antonio Teixeira/UOL

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, no Rio

13/06/2012 11h54Atualizada em 13/06/2012 13h48

A Rio+20, Conferência da ONU que ocorre entre esta quarta-feira (13) ao dia 22 junho, terá um esquema especial de trânsito no entorno do Riocentro, palco das principais atividades do evento, na zona oeste do Rio de Janeiro.

As interdições, restrições e os pontos de bloqueio que integram o planejamento da CET-Rio serão semelhantes às mudanças implementadas para o Rock in Rio, em setembro do ano passado. Mais de 130 comboios estarão em trânsito pela cidade.

No entanto, não haverá tempo hábil para cadastrar os moradores das quatro vias situadas no entorno do Riocentro -- durante o Rock in Rio, foram distribuídos adesivos especiais. Para acessar as ruas Salvador Allende, Olof Palme, Abraão Jabour e Abelardo Bueno, os moradores do Recreio dos Bandeirantes terão que apresentar comprovante de residência.

"Dessa vez a gente não vai fazer adesivo porque se trata de um dia apenas, e seria uma logística muito complicada. Pedimos o bom senso dos moradores, que poderão ter acesso a seus condomínios apresentando um comprovante de residência", explicou a presidente da CET-Rio, Cláudia Antunes Sercin.

Já os motoristas que quiserem evitar a região, há a opção de seguir pela estrada Arroio Pavuna e utilizar a rua Bemvindo de Novaes para chegar á avenida das Américas, a principal via da Barra da Tijuca.

De acordo com o secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Osório, as mudanças ocorrem em função do "incremento de mais de 30% de chefes de Estado em relação aos que confirmaram originalmente". A maioria chegará ao Rio nos dias 19 e 20 de junho.

"Estamos trabalhando nesse esquema de trânsito há pelo menos um ano, e é claro que todo planejamento pode ser alterado de acordo com as variáveis do próprio evento. Não esperávamos que mais de 70% das autoridades confirmadas fossem chegar já na terça e na quarta", afirmou.

O secretário explicou que o esquema especial de trânsito estabelece duas rotas preferenciais para a circulação de comboios e comitivas internacionais: o trajeto Galeão-zona sul (80% dos hotéis estão situados em bairros como Copacabana, Leblon e Ipanema) e o trajeto zona sul-Riocentro, começando na avenida Vieira Souto, em Ipanema, e terminando na rua Salvador Allende, no Recreio dos Bandeirantes.

Faixas exclusivas na Linha Vermelha

A CET-Rio também vai criar faixas exclusivas na Linha Vermelha nos dias 19 (terça), 20 (quarta) e 22 de junho (sexta), quando ocorrem no Riocentro os debates entre os chefes de Estado e de governo. Das 5h de terça-feira às 21h de quarta-feira, o corredor funcionará no sentido centro, e será exclusivo para comitivas de autoridades.

Já na sexta-feira (22), das 14h às 21h, a faixa exclusiva servirá para facilitar o trajeto até o Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão, na Ilha do Governador.

Os corredores --que serão sinalizados com cones da prefeitura-- começam na estrada do Galeão e terminam na altura do elevado Mário Henrique Simonsen, o mesmo que liga a Linha Vermelha ao elevado do Gasômetro. A logística de segurança em todo a Linha Vermelha ficará a cargo da Marinha.

"Esperamos uma sobrecarga na avenida Brasil, e por isso reforçamos o pedido para que as pessoas não saiam com seus carros particulares. Teremos um reforço operacional e na quantidade de reboques para evitar problemas maiores", disse o diretor de operações da CET-Rio, Joaquim Dinis.

Dinis afirmou ainda que existe a possibilidade de que alguns chefes de Estado desembarquem na base aérea do Galeão e façam imediatamente o trajeto para o Riocentro, o que demandaria no fechamento total da via por meio de batedores --serão mais de 400 homens do Exército atuando com motocicletas oficiais.

Segundo o secretário Carlos Osório, o novo planejamento da prefeitura mantém a suspensão de todas as faixas reversíveis nos dias 20, 21 e 22. "É natural que os problemas aconteçam, já que as reversíveis são bastante utilizadas", disse.

Já para o dia 19, com a chegada em massa dos chefes de Estado e de governo, a Prefeitura do Rio vai suspender praticamente todas as faixas reversíveis da zona sul da cidade, o que inclui as do Leblon, de Ipanema e de Copacabana. Os únicos corredores mantidos serão os da avenida Niemeyer e do Joá.

Vias liberadas no centro

As ruas Barão de Tefé e Camerino, na região portuária do Rio, que estavam interditadas por conta das obras do projeto Porto Maravilha, serão liberadas para o trânsito às 6h desta quarta-feira (13).

"Vai ser um ponto muito importante para desafogar o elevado da Perimetral e o fluxo pela Francisco Bicalho. Mais uma via está sendo devolvida para aliviar a situação na região portuária", disse Joaquim Dinis.

De acordo com a Secretaria Municipal de Conservação, já foram concluídas as obras de drenagem e infraestrutura no local. Para acessar a avenida Presidente Vargas, os motoristas que seguem através da avenida Rodrigues Alves devem optar pela av. Barão de Tefé, rua Camerino e avenida Passos.

O mesmo ocorre com os carros direcionados ao terminal rodoviário Américo Fontinelli, cujo acesso se dá pela rua Barão de São Félix.

Regime especial na Niemeyer

Durante o período dos debates entre os chefes de Estado no Riocentro --dias 20, 21 e 22--, a avenida Niemeyer, via que liga a zona sul do Rio à Barra da Tijuca, na zona oeste-- terá um esquema de trânsito especificamente planejado.

Segundo a CET-Rio, apenas os motoristas que moram na favela do Vidigal ou que estejam hospedados nos hotéis situados na avenida Niemeyer devem utilizar a via.

"O motorista que se aventurar pela Niemeyer como rota de passagem certamente enfrentará problemas", disse o secretário Carlos Osório.

"A Niemeyer tem uma apenas uma faixa por sentido e possui um trajeto com muitos aclives. O ideal mesmo seria fechá-la. Mas isso impediria acesso aos hotéis da região", completou o diretor de operações da CET-Rio, Joaquim Dinis.

Ônibus

Todas as empresas de ônibus do Rio funcionarão com frota máxima durante o período da Rio+20, segundo a prefeitura. Na zona oeste, serão colocadas à disposição 58 linhas distintas, e os veículos serão personalizadas com cartazes da Rio+20.

A prefeitura também anunciou que serão criadas duas linhas especiais (circulares) que farão a conexão direta entre o terminal Alvorada, na Barra da Tijuca, e o Riocentro.

O mesmo ocorre na zona sul, onde uma linha especial sairá do shopping Riosul, em Botafogo, em direção ao principal palco das atividades da Rio+20.

Mais Cotidiano