Homem com transtornos mentais atira em três pessoas na Liberdade, em SP

Do UOL, em São Paulo

Um homem que sofre de transtornos mentais baleou três pessoas na rua Castro Alves, no bairro da Liberdade, zona central de São Paulo, por volta das 8h30 da manhã desta quinta-feira (18). Após efetuar os disparos, ainda armado, Fernando Gouveia, 32, se fechou em casa localizada na mesma rua, de onde recusa-se a sair. 

Policiais do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) cercam o local e negociam sua rendição. A polícia não sabe se há outras pessoas no interior da residência, mas aparentemente Gouveia está sozinho na casa.

Os disparos foram efetuados após uma equipe composta por um oficial de Justiça, três enfermeiros e o advogado da família de Gouveia ter ido até a casa onde ele se encontrava para cumprir uma ordem de internação. Gouveia teria se revoltado e efetuou os disparos com uma pistola 9 mm, segundo informações da polícia. 

Os tiros atingiram o oficial de Justiça, um enfermeiro e uma psicóloga. Após os disparos, policiais do 11º Batalhão da Polícia Militar foram acionados e dirigiram-se até o local. O suspeito atirou também contra os policiais, que não foram atingidos.

As vítimas foram socorridas pela polícia e levadas para o pronto-socorro do Hospital Vergueiro. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, o estado de saúde do oficial de Justiça, de 49 anos, do enfermeiro, de 37, e da psicóloga, de 45, é estável e eles não correm risco de morrer. 

Após o atirador se fechar na casa, policiais do Gate assumiram as negociações de rendição. A mãe do homem teria auxiliado os policiais nos primeiros momentos das conversas, informou a polícia para a GloboNews.

Segundo a polícia, o homem mantém contato com um policial negociador por telefone. Ele diz possuir outras armas e estar ferido na cabeça e no braço. Fernando Gouveia teria se ferido em uma luta corporal com um dos enfermeiros que integravam a equipe que queria interná-lo. 

O polícia diz que cogita realizar uma invasão. No entanto, tenta conduzir as negociações para que o homem se renda, evitando também que cause danos a si próprio. Segundo a Folha de S. Paulo, um psicólogo da PM participa das negociações. 

A rua Castro Alves foi interditada na altura do número 1000 para permitir que os policiais conduzam as negociações com o suspeito. Moradores e comerciantes do local foram orientados a não sair na rua.  

Cerca de 20 soldados da polícia estão no local junto com a equipe do Gate. Uma viatura do Corpo de Bombeiros e uma do Samu também encontram-se de plantão na rua Castro Alves.

Interdição

Segundo informações da Folha de S. Paulo, a mãe de Fernando Gouveia entrou com um pedido de interdição judicial após o filho, que sofre de esquizofrenia, sair de casa há cerca de dois meses

O advogado contratado pela família de Gouveia,  José Conciolito, diz que a mãe localizou o filho após algum tempo desaparecido, morando na casa de uma psicóloga. Ela teria pedido a interdição por ele não ter voltado para casa. 

Ainda segundo a Folha, após ser interditado, Fernando passaria por uma avaliação e poderia ser internado em uma clínica particular em Itapira (a 164 km de São Paulo).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos