Topo

Presidente interino, Marco Maia oferece ajuda federal para combater violência em Santa Catarina

Do UOL, em Brasília

16/11/2012 15h47Atualizada em 16/11/2012 18h19

O presidente interino da República, deputado Marco Maia (PT-RS), telefonou na manhã desta sexta-feira (16) para o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), oferecendo ajuda do governo para combater a onda de violência no Estado.

Segundo a assessoria de Maia, o governador disse que a expectativa do Estado "é de controle e tentativa de normalidade" -- nos últimos dias, o Estado tem vivido uma rotina de atentados e de ataques a ônibus.

Na conversa, Maia colocou o governo federal à disposição do Estado para "qualquer necessidade" de combate à onda de violência.  “Já temos uma série de ações integradas entre Polícias Civil e Federal, mas neste momento, queremos reforçar que o combate ao crime organizado é responsabilidade de todos, independentemente de questões políticas”, disse o presidente em exercício.

Maia assumiu interinamente a Presidência da República conta da viagem da  presidente Dilma Rousseff à Espanha e do vice-presidente Michel Temer à Alemanha. Como presidente da Câmara dos Deputados, ele é o terceiro na escala de sucessão presidencial.

Dilma participa, nesta sexta-feira (16), da cerimônia de inauguração da XXII Cúpula Ibero-Americana, no Teatro Falla, em Cádiz, Espanha.

Na última quarta-feira (14), Temer embarcou para a Alemanha, onde se encontra com a chanceler Angela Merkel. Temer retorna ao Brasil amanhã.

Balanço da violência no Estado

Já são 13 as cidades de Santa Catarina atingidas por atentados nos últimos cinco dias. São elas: Florianópolis, Blumenau, Itajaí, Navegantes, Gaspar, Balneário Camboriú, Itapema, Palhoça, São José, São Pedro de Alcântara, Criciúma, Tubarão e Tijucas - as duas últimas incluídas no balanço de hoje. Mais um ônibus foi atacado às 11h desta sexta (16), na localidade de Sertão do Imaruí, perto da penitenciária de São Pedro, na Grande Florianópolis. A PM informou a prisão em flagrante de um suspeito do ataque. Não houve feridos.

Nesse quinto dia de ataques, a PM do Estado registrou nove incidentes, desde às 20h40 de quinta-feira (15) e o amanhecer desta sexta. Foram menos do que os 13 de quarta e os 16 de terça, até então o dia mais agitado. Mas foram mais violentos, com três mortes.

O nível de violência aumentou na quinta, com a morte de três suspeitos em confrontos com a PM. As mortes ocorreram em Itapema, às 17h30, e em Tijucas, às 22h30. Segundo a PM, os dois incidentes estão relacionados. Os dois mortos em Tijucas, Lucas dos Santos e Rodrigo da Silva, estariam viajando de Florianópolis para Itapema (70 km ao norte) para vingar a morte de Jeferson Belo, baleado durante perseguição policial seis horas antes. Belo era suspeito de ter incendiado um ônibus na cidade, às 16h.

Mais Cotidiano