Mizael perseguia Mércia Nakashima, diz testemunha e irmão da vítima

Folha de S.Paulo

Márcio Nakashima, irmão de Mércia, assassinada em 2010, foi a primeira testemunha a depor na manhã desta segunda-feira (11). Ele falou aos jurados que Mizael Bispo, ex-namorado da vítima, ameaçava e perseguia a vítima.

"Quando ele não conseguia falar com ela, ele saía atrás dela. Ele gostava de controlar o que ela fazia", afirmou. Márcio ainda disse que, mesmo após o fim da parceria profissional --eles eram sócios em um escritório de advocacia-- e do relacionamento, Mizael continuava passando em frente ao prédio da vítima. O acusado também ligava repetidamente para o celular de Mércia, o que fez com que ela trocasse o número do celular diversas vezes.

Antes do depoimento, Mizael foi retirado do plenário a pedido do Ministério Público. De acordo com a acusação, a testemunha se sentia ameaçada pelo réu. A defesa contestou que, por ser advogado, Mizael faria sua autodefesa, porém o juiz Leandro Bittencourt Cano deu seu parecer favorável à Promotoria.

Interrogado pelo promotor Rodrigo Merli Antunes, Márcio ainda falou que Mizael "se transformou" durante o relacionamento e passou a se mostrar controlador e agressivo.

"Ele se transformou em uma pessoa possessiva, ciumenta. No começo, ele ia nas festas em casa e ele interagia, conversava com todo mundo. Com o tempo, ele começou a ficar em um canto e a Mércia tinha que sentar do lado dele. Ela só falava com a gente se perguntássemos alguma coisa para ela", contou Márcio.

As mudanças de temperamento teriam sido um dos motivos para o término do relacionamento.

A testemunha relatou que nunca viu a irmã ser agredida. Entretanto, relatou que, após o crime, Cláudia --outra irmã da vítima e da testemunha-- contou que Mércia estava chateada e ficou trancada no quarto alguns dias. Ela teria marcas de machucados pelo corpo. Quando questionada por sua irmã sobre os hematomas, ela respondeu que tinha tido uma discussão um pouco mais calorosa com o Mizael. Mércia ainda teria dito à irmã "você sabe como ele é truculento né?"

CRONOLOGIA DO CASO MÉRCIA

Divulgação

Mércia Nakashima, encontrada morta na represa de SP

Mércia Nakashima, encontrada morta na represa de SP

23 de maio de 2010

A advogada Mércia Nakashima desaparece após almoçar com a família

10 e 11 de junho

O carro da advogada é encontrado na represa de Nazaré Paulista (64 km de SP) no dia 10 de junho, e seu corpo no dia seguinte

25 de junho

A Justiça de São Paulo decreta a prisão preventiva do vigia Evandro Bezerra Silva, depois de ele não aparecer para prestar depoimento no DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa)

9 de julho

O vigia Evandro Bezerra Silva é preso na cidade de Canindé do São Francisco, em Sergipe

10 de julho

Justiça decreta a prisão temporária de Mizael Bispo de Souza, 40, ex-namorado da advogada Mércia Nakashima, suspeito de ter participado do crime

 

Andre Vicente/ Folhapress

Carro da advogada Mércia Nakashima é retirado de uma represa em Nazaré Paulista (SP)

Carro de Mércia é retirado da represa em Nazaré Paulista (SP)


14 de julho

Justiça suspende pedido de prisão de Mizael, que não chegou a ser preso

2 de agosto

O Ministério Público oferece denúncia (acusação formal) contra Mizael e Evandro por homicídio qualificado e ocultação de cadáver

3 de agosto

A Justiça de Guarulhos aceita a denúncia e decreta a prisão preventiva dos dois acusados

4 de agosto

O advogado de Mizael Bispo de Souza, Samir Haddad Junior, entra com pedido de habeas corpus. Mizael não se entrega e é considerado foragido

5 de agosto

A desembargadora Angélica de Almeida, da 12ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça, suspende a prisão preventiva de Mizael

9 de agosto

A 12ª Câmara de Direito Criminal do TJ suspende a prisão preventiva de Evandro

11 de agosto

Polícia faz a reconstituição de parte do dia em que Mércia Nakahima desapareceu. A polícia refez os passos de Mizael das 11h do dia 23 de maio até por volta de 18h40. Mércia teria sido vista pela última vez por volta de 18h30. Segundo o delegado Antônio de Olim, que coordenou a investigação, a vistoria serviu para reforçar as contradições no depoimento de Mizael

31 de agosto

O Instituto de Criminalística entrega à Polícia Civil e ao Ministério Público o laudo sobre a morte de Mércia. A principal evidência apresentada no documento é uma alga encontrada em um sapato de Mizael, que seria compatível com espécie presente na represa de Nazaré Paulista onde o corpo dela foi encontrado

18 a 21 de outubro

Justiça de Guarulhos ouve 21 testemunhas do caso, além dos dois acusados, durante audiência de instrução

7 de dezembro

Juiz decreta a prisão preventiva de Mizael e Evandro e decide levar os dois acusados a júri popular. Os dois não se entregam e são considerados foragidos

17 de dezembro

Os advogados de defesa de Mizael e Evandro entram com recursos contra o decreto da prisão preventiva no Tribunal de Justiça

27 de dezembro

A desembargadora Angélica de Almeida, da 12ª Câmara Criminal do TJ, nega habeas corpus em favor de Mizael e Evandro

10 de janeiro de 2011

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) nega pedido de habeas corpus feito pela defesa de Mizael

24 de fevereiro de 2012

Mizael se entrega à Justiça após mais de um ano foragido. Advogado diz que pediu prisão domiciliar para ele

21 de março

A 12ª Câmara de Direito Criminal do TJ mantém decisão de levar Mizael e Evandro a júri popular

15 de maio

A 2ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) nega pedido de habeas corpus a Mizael

23 de junho

Evandro é preso no povoado de Candú, zona rural de Carneiros, sertão de Alagoas

Receba notícias do UOL. É grátis!

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos