Topo

Pensei que ele estivesse morto, diz testemunha que socorreu ciclista atropelado

O ciclista David Santos Sousa (esq.), que perdeu o braço após ser atropelado em São Paulo, abraça o estudante Thiago Chagas dos Santos, que prestou os primeiros socorros no dia do acidente - Reprodução
O ciclista David Santos Sousa (esq.), que perdeu o braço após ser atropelado em São Paulo, abraça o estudante Thiago Chagas dos Santos, que prestou os primeiros socorros no dia do acidente Imagem: Reprodução

Gabriela Fujita

Do UOL, em São Paulo

26/03/2013 15h02

Na primeira entrevista depois do atropelamento em que teve seu braço direito arrancado, o ciclista David Santos Sousa, 21, disse que “deve sua vida” às duas pessoas que o socorreram após o acidente na avenida Paulista, no dia 10 de março. Nesta terça-feira (26), David se encontrou pela primeira vez, desde o atropelamento, com o estudante Thiago Chagas dos Santos, 26, e com o coordenador de informática Agenor Pereira Jr., 41, que estavam perto do local onde o acidente aconteceu e correram para ajudar assim que ouviram o barulho causado pelo batida.

Thiago, que tem formação como técnico de enfermagem, pensou que David estava morto quando o encontrou jogado no chão. “Eu pensei que ele estivesse morto. Não senti pulso ou respiração, vi que ele estava perdendo muito sangue pelo braço”, afirmou. O estudante prestou os primeiros socorros, como respiração boca à boca e massagem no peito, enquanto via um carro indo embora do local –possivelmente dirigido pelo estudante Alex Siwek, que atropelou David e fugiu sem prestar socorro.

David, Thiago e Agenor participaram de uma entrevista coletiva no escritório de advocacia Ademar Gomes, em São Paulo, que representa a família de David.

 

O acidente

David Santos Sousa, 21, ia para o trabalho de bicicleta, no início da manhã de domingo, dia 10 de março, quando foi atropelado na avenida Paulista, região central de São Paulo. O jovem teve o braço direito arrancado na batida e o motorista, o estudante Alex Siwek, 21, fugiu sem prestar socorro, levando preso ao carro o membro decepado da vítima, segundo informações da Polícia Militar. Siwek foi preso em flagrante após se entregar à polícia e disse que jogou o braço do ciclista em um córrego na zona sul da capital paulista.

Segundo laudo do IML (Instituto Médico Legal), Siwek apresentava sinais de embriaguez no momento do acidente, mas não estava embriagado. O estudante se negou a fazer a coleta de amostras para os exames de sangue e urina. A prisão preventiva foi decretada no dia 14, mas Alex Siwek deixou a Penitenciária de Tremembé na última quinta-feira (21) depois de conseguir um habeas corpus na Justiça.

Alta

Após passar por cirurgias no Hospital das Clínicas, onde foi internado, David Santos Sousa recebeu alta no último sábado (23). O rapaz vai ganhar de uma empresa em Sorocaba, no interior de São Paulo, uma prótese mecânica.

Mais Cotidiano