PUBLICIDADE
Topo

Passageira diz que motorista levou chute no rosto antes de acidente no Rio

A estudante Amanda Santana Silva (à esq.), 19, está internada no Hospital Getúlio Vargas, na Penha, zona norte - Arquivo pessoal
A estudante Amanda Santana Silva (à esq.), 19, está internada no Hospital Getúlio Vargas, na Penha, zona norte Imagem: Arquivo pessoal

Julia Affonso

Do UOL, no Rio

03/04/2013 11h10Atualizada em 03/04/2013 13h17

Uma das pessoas que ficou ferida no acidente com um ônibus que matou sete pessoas na avenida Brasil, zona norte do Rio de Janeiro, na terça-feira (2), Amanda Santana Silva, 19, disse para sua mãe que o motorista levou um chute no rosto segundos antes do veículo cair do viaduto Brigadeiro Trompowski.

A mãe de Amanda, Conceição Rodrigues Santana, que foi visitá-la no Hospital Getúlio Vargas, na Penha, zona norte do Rio, contou que, segundo a jovem, o motorista não parou no ponto onde um homem queria descer, antes do viaduto. Os dois teriam iniciado uma discussão e o jovem teria pulado a catraca e chutado o rosto do condutor, que perdeu o controle do veículo. "Ela disse que o homem pulou a catraca, ficou discutindo com o motorista e acertou um pontapé no rosto dele. Ela disse que viu o motorista virando de lado, e o ônibus caiu", afirmou.

Conceição contou que a filha voltava do segundo dia de aulas na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), onde cursa farmácia. Ela desceria do ônibus na avenida Brasil, onde embarcaria em outro rumo a Irajá, onde mora. "Quando me ligaram, imaginei que ela estivesse toda cortada. Cheguei no hospital e vi que ela estava inteira", afirmou. "Eu me sinto até mal de ficar feliz por ela estar viva, sabendo que tanta gente morreu."

Amanda quebrou o cóccix e saiu andando de dentro do ônibus após o acidente, quando foi socorrida por pessoas que estavam no local. "Ela contou que tinha muita gente gritando quando o ônibus caiu, e depois ficou um silêncio. Ela se assustou e tentou sair", disse a mãe. "Um homem que trabalhava em uma empresa perto de onde aconteceu o acidente ajudou ela a sair e me ligou avisando sobre o que tinha acontecido."

A jovem está consciente e não tem previsão de alta. Segundo a mãe, ela chora bastante e sente muita dor.

Perda de memória

O motorista do ônibus, André Luiz da Silva Oliveira, 33, também está internado no Hospital Estadual Getúlio Vargas. Ele teve fratura na perna, traumatismo craniano e está em estado de choque, mas estável. Sua mulher, Francilene dos Santos, 40, disse que ele estava desorientado e não reconheceu os nomes de familiares.

Veja o local onde o ônibus caiu

  • Arte/UOL

O titular do distrito policial de Bonsucesso (21ª DP), José Pedro Costa da Silva, esteve nesta quarta-feira (3) no Hospital Getúlio Vargas. Segundo Silva, o condutor André Luiz da Silva Oliveira, 33, teve perda de memória recente e não se lembra de nada do que aconteceu no dia do acidente.

"O motorista não tem condições de prestar esclarecimentos. Ele ainda está em estado de choque e não se recorda do acidente, a memória recente dele está prejudicada", afirmou o delegado.

Costa afirmou que Rodrigo também não lembra da briga e que sua última lembrança é de ter entrado no ônibus para ir para a UFRJ. "O Rodrigo diz que não se lembra de nada, mas sabe o que houve pela televisão que está no quarto dele. Ele recebe as informações da imprensa, mas não assume a responsabilidade pelo golpe", contou.

O acidente deixou sete mortos e 11 feridos, dois em estado gravíssimo. Os mortos foram identificados pelos Bombeiros como Luiz Antônio do Amaral, 41; Marcius Flávio do Nascimento, 36; Oséas da Silva Cardoso, 39; Ângela Maria Reis da Silva, 62; Francisco Batista de Souza, 40; José Aparecido de Jesus, 41; e Luciana Chagas da Silva, 26.

 

Cotidiano