Topo

Ciclista que teve o braço arrancado em SP faz últimos testes com prótese

Do UOL, em São Paulo

17/07/2013 13h47

O ciclista David Santos Souza, 21, que perdeu o braço ao ser atropelado em março na avenida Paulista, em São Paulo, está realizando os últimos testes com uma prótese mecânica em uma clínica de Sorocaba (99 km da capital). “O braço mecânico é 100% funcional. Na sexta-feira [dia 19], já vou ficar direto com ele”, disse Souza ao UOL.

O braço, que custa cerca de R$ 350 mil, foi doado por um empresário de Sorocaba, dono da clínica. Os sensores são instalados na parte que sobrou do braço direito, quase na altura do ombro. Os comandos cerebrais são enviados para pequenos motores que movimentam os dedos.

“Ainda sinto dor no coto, porque fiquei quatro meses sem mover a região. Mas, com o tempo, eu me acostumo”, afirmou Souza, que está trabalhando em São Paulo como auxiliar de instrutor de brigada de incêndio.

O jovem conta que já voltou a andar de bicicleta, mesmo sem a prótese.

Ciclista que teve o braço arrancado testa prótese mecânica

O acidente

Souza ia para o trabalho de bicicleta, no início da manhã de domingo, dia 10 de março, quando foi atropelado na avenida Paulista, região central de São Paulo.

O jovem teve o braço direito arrancado na batida, e o motorista, o estudante Alex Siwek, 21, fugiu sem prestar socorro, levando preso ao carro o membro decepado da vítima, segundo informações da Polícia Militar.

Siwek foi preso em flagrante após se entregar à polícia e disse que jogou o braço do ciclista em um córrego na zona sul da capital paulista.

Segundo laudo do IML (Instituto Médico Legal), Siwek apresentava sinais de embriaguez no momento do acidente, mas não estava embriagado.
O estudante se negou a fazer a coleta de amostras para os exames de sangue e urina.

Ciclistas protestam pelo Brasil e pelo mundo
Ciclistas protestam pelo Brasil e pelo mundo
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','71600', '')

Mais Cotidiano