Topo

Governo do Rio terá que pagar tratamento de mulher que ficou cega em protesto

Carolina Farias

Do UOL, no Rio

2013-08-08T17:38:19

08/08/2013 17h38

A Justiça do Rio de Janeiro determinou que o governo do Estado pague o tratamento de saúde de uma publicitária de 26 anos que perdeu a visão do olho esquerdo após ser atingida por  bala de borracha e estilhaços de uma bomba durante a manifestação do dia 20 de junho, que seguiu da Candelária, no centro, até a sede da prefeitura, na Cidade Nova.

Protestos no Rio de Janeiro
Protestos no Rio de Janeiro
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','5105+AND+52727+AND+29229', '')

A decisão, da juíza Alessandra Cristina Tufvesson, da 3ª Vara da Fazenda Pública, data de segunda-feira (5) e dá o prazo de cinco dias para seu cumprimento. Em São Paulo, um fotógrafo também perdeu a visão do olho esquerdo após ser atingido por um tiro de bala de borracha durante um protesto.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o governador Sérgio Cabral (PMDB) informou que o Estado não vai recorrer e que o governo pagará o tratamento à publicitária.

Um laudo do Hospital Souza Aguiar, onde Renata foi atendida, foi anexado ao processo e traz informações sobre os danos causados à publicitária. Além dela, um amigo, que a acompanhava, prestou informações que foram acrescentadas à ação.

De acordo com a decisão da juíza, os ferimentos foram causados de maneira tão específica que não poderiam ocorrer em uma situação fora do confronto entre manifestantes e policiais.

Internautas registram protestos motivados por aumento das tarifas do transporte; veja fotos
Internautas registram protestos motivados por aumento das tarifas do transporte; veja fotos
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','16852+AND+29229', '')

"Foram apresentados os documentos médicos, que comprovam a causa da lesão de seu olho que, por tão específica, não poderia ter sido causada que não em uma situação de confronto entre policiais e manifestantes, tal como a descrita na petição inicial. Há laudo médico fornecido pelo SUS [Sistema Único de Saúde] que informa ‘lesão orbitária por PAF [bala de borracha]’", diz a decisão.

As informações do laudo foram decisivas para a decisão da juíza, que determina que o Estado pague os "custos necessários ao pleno restabelecimento da saúde da autora". Reportagem do jornal “O Globo” desta quinta-feira (8) informa que a publicitária pode ter de recorrer a uma prótese do globo ocular, e que o valor pode chegar a R$ 100 mil.

Qual deve ser o principal tema dos próximos protestos no Brasil?

Fotógrafo 

Situação similar à de Renata vive o fotógrafo Sérgio Andrade da Silva, da Futura Press, que foi atingido por um tiro de bala de borracha na manifestação do dia 13 de junho em São Paulo. Ele também perdeu a visão do olho esquerdo. 

Silva faz um abaixo-assinado no Facebook para que a Polícia Militar de São Paulo deixe de usar balas de borracha e gás lacrimogêneo em manifestações. O fotógrafo recebeu, há 15 dias, a notícia de que perdeu a visão.

Relembre

  • Kátia Passos/Divulgação

    Fotógrafo é atingido por bala de borracha em protesto em São Paulo

"Quinta, 25 de julho, não foi um dia bom. Finalmente chegou a notícia do corpo médico de que nunca mais vou recuperar a visão do meu olho esquerdo. Mas o pior mesmo é olhar para o tempo e ver que os abusos por parte da polícia nas manifestações não têm fim", disse Silva ao lançar a campanha. 

O fotógrafo também citou os casos de violência nas manifestações do Rio de Janeiro.  "Desde que eu, vários jornalistas e manifestantes paulistas fomos feridos por balas de borracha e bombas de gás, ficamos sabendo de outros casos no Rio de Janeiro de pessoas que também perderam a visão ou se machucaram gravemente. Definitivamente, isso não pode continuar!".

Protestos em São Paulo
Protestos em São Paulo
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','5110+AND+52727+AND+29229', '')

Mais Cotidiano