Topo

Após 3ª greve de 2013, Prefeitura de SP descredencia empresa de transporte coletivo

Ônibus ficam na garagem em Itaquera, zona leste de SP, durante paralisação de motoristas e cobradores - Peter Leone/AE
Ônibus ficam na garagem em Itaquera, zona leste de SP, durante paralisação de motoristas e cobradores Imagem: Peter Leone/AE

Do UOL, em São Paulo*

11/10/2013 12h05Atualizada em 11/10/2013 12h34

A Prefeitura de São Paulo descredenciou a viação Itaquera-Brasil, empresa de ônibus que atende 24 linhas de transporte coletivo na zona leste da capital. Com isso, a partir de segunda-feira (14), a empresa não poderá mais realizar o transporte dos cerca de 150 mil passageiros/dia que eram atendidos. A informação é do SPTV, da Rede Globo. 

A decisão foi tomada pela administração municipal nesta sexta-feira (11), quando motoristas e cobradores da empresa realizam a terceira paralisação do ano por conta de atrasos de salários. A última greve havia sido no início do mês passado, quando o prefeito Fernando Haddad (PT) já havia ameaçado a Itaquera-Brasil com o descredenciamento. A primeira paralisação do ano foi em julho.

"Estamos parados desde as três horas porque a empresa ainda não pagou os salários que deveriam ter sido depositados até o dia 5 nem as horas extras de cinco quinzenas”, justificou um dos funcionários, Alessandro Roberto de Lima. Ele informou que essa situação afeta 1,7 mil funcionários.

De acordo com a SPTrans (São Paulo Transportes, foi acionado o Paese (Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência) para atender aos usuários.

No total, 119 ônibus das viações Sambaíba, Via Sul e VIP Transportes foram colocados em circulação. A paralisação ocorre na garagem de Cidade Tiradentes, um dos bairros afetados e de onde são operadas 24 linhas com 220 ônibus.

O diretor do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo, Francisco Inácio dos Santos, informou que a empresa prometeu depositar 22% dos vencimentos até o período da tarde. A Agência Brasil procurou um porta-voz da companhia, mas foi informada de que a direção estava reunida para definir os procedimentos em torno da greve. (* com Agência Brasil)

Mais Cotidiano