PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

São Paulo terá sinalização com aviso sobre locais de enchentes neste verão

Placas vão indicar locais com possibilidade de alagamento durante o período de chuvas em São Paulo - Divulgação
Placas vão indicar locais com possibilidade de alagamento durante o período de chuvas em São Paulo Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

22/11/2013 17h54

“Motorista – Área sujeita a alagamento”; “Em caso de chuva, evite circular nesta via”.

Mensagens como essas estamparão placas a serem colocadas em pontos de alagamento críticos da cidade para alertar os motoristas desavisados. Tais mensagens poderão, ainda, estar acompanhadas de sugestões de rotas alternativas, em um trabalho em conjunto da Prefeitura de São Paulo, da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e da Secretaria Municipal dos Transportes.

De acordo com o prefeito Fernando Haddad (PT), que anunciou nesta sexta-feira (22) a Operação Chuvas de Verão, a sinalização vai ajudar a cidade a “se comunicar melhor com o verão”. “Há locais que não são próprios para estacionar o carro no período de chuvas. O motorista não é obrigado a saber. Nós vamos alertá-lo”, disse Haddad.

Chuvas pelo Brasil
Chuvas pelo Brasil
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','64472+OR+57735', '')

“Gostaria de ter a segurança de que vamos ter um verão melhor, mas isso depende do volume de chuvas e da nossa capacidade de organização”, continuou o prefeito. Segundo Haddad, a capacidade de organização da prefeitura “está melhor”, mas a previsão é que o verão 2013-2014 tenha chuva acima da média.

"As tempestades têm sido intensas e cada vez mais frequentes, o que significa que temos que nos preparar melhor", disse.

Como medidas de combate às enchentes, a prefeitura anunciou a remoção de 18 mil árvores “doentes” (das quais 13.129 já foram cortadas desde março) e a limpeza de 7.000 bocas de lobo até o final do ano.

A operação, que envolve 14 secretarias e contou um investimento total de R$ 125 milhões, também prevê a realização de obras de microdrenagem em 35 pontos de alagamento até abril de 2014, sendo que duas já foram entregues: Itaim Paulista e Ermelino Matarazzo (zona leste).

A prefeitura informou também que o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências) ganhará mais pluviômetros, além de um radar meteorológico “de última geração”, capaz de prever chuvas com três horas de antecedência.

Semáforos

A operação de redução dos efeitos das chuvas prevê também a reforma de semáforos sucateados. De acordo com o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, um mapeamento constatou que São Paulo tem 5.667 cruzamentos com semáforo, dos quais 4.800 apresentam algum problema e precisam de revitalização.

“Não vai dar tempo, infelizmente, de consertar todos os 4.800 para esse período de chuvas, mas queremos consertar quase 2.000”, disse Tatto, que explicou que a meta da prefeitura é reformar 1.995 semáforos até dezembro de 2013, sendo que 1.035 já passaram pela manutenção.

Também está no programa a construção da chamada Central de Manutenção Semafórica, que custará R$ 2,5 milhões e será responsável pelo monitoramento das condições dos semáforos 24 horas por dia. “O compromisso assumido com as empresas contratadas, sob pena de multa, é que qualquer ocorrência terá que ser atendida em no máximo duas horas. Ou seja, em duas horas o semáforo tem que estar funcionando”, disse o prefeito.

Trânsito em São Paulo
Trânsito em São Paulo
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','9152+AND+5106', '')

Cotidiano