Topo

PM realiza operação para ocupação de favelas em Niterói (RJ)

Do UOL, no Rio

04/12/2013 10h19

A Polícia Militar do Rio de Janeiro realiza uma operação nesta quarta-feira (4) em quatro comunidades de Niterói, na região metropolitana, visando a implantação de uma Companhia Destacada de Policiamento Ostensivo --que segue modelo semelhante ao das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora). A ação acontece nos morros do Palácio, Estado, Arroz e Chácara, consideradas as mais perigosas do município.

Cerca de 400 homens do COE (Comando de Operações Especiais), com apoio do Bope (Batalhão de Operações Especiais) e de helicópteros, realizam a ação, que não tem prazo para ser concluída. Até as 10h, não havia informações sobre prisões.

Segundo o COE, as comunidades foram escolhidas por serem próximas ao Centro, Ingá e Icaraí, bairros de muito movimento, mas a ocupação já tinha sido anunciada no dia 19 de novembro pelo secretário estadual de Segurança Pública, José Mariano Beltrame.

Nas favelas do Estado e do Palácio, a Polícia Militar já atua com um efetivo de 110 policiais --este número, porém, não foi considerado suficiente para garantir o controle territorial e a redução dos índices de criminalidade, de acordo com um estudo feito pelo Estado-Maior Operacional.

Dessa forma, ao final das operações para ocupar as comunidades em definitivo, o contingente será reforçado com mais 60 homens, isto é, o efetivo total chegará a 170 policiais até o fim do ano.

Em janeiro e março 2014, também serão instaladas companhias destacadas no bairro do Fonseca, na zona norte, e na região de Pendotiba, respectivamente. Cada uma contará com efetivo de 60 policiais.

A polícia solicita que os moradores dessas regiões andem com seus documentos para facilitar a identificação. Motoristas e motociclistas também devem portar os documentos que comprovem propriedade de seus veículos.

Violência em Niterói

Levantamento do ISP (Instituto de Segurança Pública) divulgado no final de outubro aponta que o número de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) no Estado do Rio teve aumento 38% em agosto, em comparação ao mesmo mês do ano passado. Foram registrados 406 casos em 2013 ante 294 em 2012.

A região onde o número de homicídios mais aumentou no comparativo entre agosto dos dois anos, no entanto, foi a de Niterói e cidades do entorno: uma variação de 186,7%, passando de 15 em agosto de 2012 para 43 no mesmo período em 2013.

A Polícia Militar informou em nota que o aumento no número de ocorrências criminais no Estado ocorreu "em áreas onde PMs foram deslocados para atuar em manifestações que terminaram em violência". "O patrulhamento ostensivo acabou sendo prejudicado", diz o texto.

Cotidiano