PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Número de mortes causadas pela chuva no ES salta para 14

Do UOL, em São Paulo

24/12/2013 15h00


Subiu para 14 o número mortes provocadas pela chuva no Espírito Santo desde a semana passada. A informação foi confirmada nesta terça-feira (24) pela Defesa Civil do Estado.

Tirou foto das chuvas no ES? Mande para o UOL

  • Julio Santos/Colatina Hoje/Facebook

O município de Itaguaçu (a 128 km de Vitória) é o mais afetado, com oito mortes. Seis pessoas morreram na cidade hoje após o desabamento de cinco casas, atingidas por deslizamentos de terra.

Colatina registrou hoje a segunda morte no período. O mesmo aconteceu em Baixo Guandu.

Os municípios de Nova Venécia e de Domingos Martins (distrito de Paraju) contabilizam uma morte cada.

A chuva já causou estragos em mais de 61% dos municípios do Estado. Das 78 cidades capixabas, 48 foram afetadas.

De acordo com o boletim da Defesa Civil divulgado na tarde desta terça (24), o número de pessoas que precisaram deixar suas casas no Estado chega perto de 50 mil, entre desabrigados e desalojados.

Desse total, 5.300 foram levadas para abrigos municipais e 44.586 estão desalojadas (foram para casas de parentes e amigos).

O Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural) já considera este mês o dezembro mais chuvoso da história no Estado. O município de Linhares tem o índice mais alto de precipitação, com volume de chuva superior a 700 milímetros desde o início do mês.

Segundo o Incaper, o fenômeno é decorrência de “um canal de umidade associado à presença de Zonas de Convergência do Atlântico Sul que vêm mantendo mantendo o tempo encoberto em todo o Estado”. “O solo já está muito encharcado, e a continuidade da chuva só agrava os impactos”, disse Hugo Ramos, meteorologista do instituto.

A Defesa Civil tem enviado alertas de risco de inundações e de deslizamentos de terra na região serrana e alertas de alagamentos em Linhares e Colatina por causa cheia do Rio Doce. Para auxiliar as vítimas, o órgão pediu apoio a voluntários que possuem barcos leves.

As enchentes causaram perdas no comércio, na indústria, na agricultura e na pecuária. A presidente Dilma Rousseff (PT) e o governador Renato Casagrande (PSB) sobrevoaram regiões afetadas nesta terça. Dilma afirmou que a prioridade é salvar vidas.

Estradas bloqueadas

Cerca de 20.000 quilômetros de estradas foram danificados, o que dificulta o tráfego e a chegada de socorro e ajuda humanitária. A presidente afirmou que a partir de quinta-feira (26) o Exército ajudará a construir pontes provisórias onde houve desabamento ou interdição de vias.

Ao menos dez rodovias têm trechos totalmente interditados em razão dos estragos provocados pela chuva. São nove estaduais e uma federal. De acordo com o DER (Departamento de Estradas de Rodagem do Espírito Santo), o ponto mais crítico fica na Rodovia ES-010, no município de Serra.

DOAÇÕES

Interessados em ajudar as vítimas podem fazer depósitos em nome do Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo em três contas bancárias:

Banco do Brasil
Agência 3665-x
Conta corrente: 150.000 ? 7

Caixa Econômica Federal
Agência 0167-8
Operação 06
Conta corrente: 10.004

Banestes
Agência 0271
Conta corrente: 23.765.589

Doações de cestas básicas e de água mineral para as vítimas podem ser enviadas aos seguintes locais:

1º Batalhão da Polícia Militar: Av. Maruipe, 2115, Vitoria, tel.: (27) 3636-7306

2º Batalhão da Polícia Militar: Av. Guanabara, 40, Nova Venécia, tel.: (27) 3752-4200

4º Batalhão da Polícia Militar: Av. Nossa Senhora da Penha, 118, Vila Velha, tel.: (27) 3636-0400

11º Batalhão da Polícia Militar: Rua Vereador Antonio Roas Ruebra, 293, Barra de São Francisco. Tel.: (27) 3756-8400

12º Batalhão da Polícia Militar: Rua Washington Luiz, 599 ? Linhares, Tel.: (27) 3372-7853

Escola Honório Fraga: Rua Nossa Senhora Aparecida, 204, Colatina, Tel.: (27) 3722-3247

No local, a erosão causada pelas águas do mar causou o rompimento da pista. A alternativa para os motoristas nessa região é a BR-101. A ES-010 também sofreu interrupção no trecho entre Vila do Riacho e Regência.

A ES-080 tem dois trechos interrompidos por alagamentos: entre Cariacica e Santa Leopoldina e entre Colatina e São Domingos.

A ES-355 foi obstruída no trecho entre Santa Maria de Jetibá e Santa Leopoldina por causa de pontos de alagamento e quedas de barreira.

Na ES-261, o trânsito foi interrompido entre Laranja da Terra e Itarana por causa de um deslizamento de terra.

A força das águas rompeu a pista da rodovia ES-341, entre Pancas e o distrito de Ângelo Frechiani. Na região, as cheias dos rios Doce e Pancas provocaram pontos de alagamentos e quedas de barreiras em diversas rodovias.

Na ES-248, pontos de alagamentos interromperam o fluxo no trecho entre Colatina e Linhares e entre Linhares e o distrito de Povoação.

Barreiras também impedem o trânsito no trecho entre Baixo Guandu e Itaguaçu das rodovias ES-164 e ES-446.

Uma enxurrada destruiu desvios de pontes que estavam em obras na ES 381, entre Nova Venécia e Guararema, o que obstruiu o fluxo no trecho.

Na ES-334, o trânsito foi bloqueado entre Águia Branca e Vila Verde em função de alagamentos.

A federal BR-258 está interditada no km 88, em Baixo Guandu, por causa de uma barreira.

Deslizamentos de terras, rochas e alagamentos afunilam o tráfego em outras estradas estaduais e federais que cruzam o Estado. 

Cotidiano