Mais informação com menos tempo de leitura
Topo

Vídeo mostra ataque a ônibus em que menina é queimada, em São Luís; ela morreu

Aliny Gama

Do UOL, no Recife

08/01/2014 21h43

Imagens do circuito interno de câmeras de um dos três ônibus incendiados por bandidos, no bairro Vila Sarney Filho, em São José de Ribamar (região metropolitana de São Luís), mostram o momento em que a menina Ana Clara Santos Sousa, 6, é atingida pelas chamas, na sexta-feira (3). A mãe dela, Juliane Carvalho Santos, 22, e a irmã de Ana Clara, Lorrane Beatriz, 1 ano e cinco meses, também se feriram. Ana Clara morreu na segunda-feira (6).

Nas cenas, um homem armado entra no ônibus, às 20h08 (horário local), e anuncia o ataque. Várias pessoas conseguem pular as escadas e sair pela porta dianteira do ônibus. O veículo, então, é cercado por um grupo de criminosos.

No momento em que a mãe de Ana Clara com as duas filhas tentam sair do ônibus são atingidas por combustível e ocorre uma grande explosão.

Juliane consegue correr para o interior do veículo com a filha Lorrane, mas Ana Clara fica bem no meio do fogo, na escada. Após dez segundos sendo queimada, a Ana Clara consegue descer das escadas e corre desnorteada pela rua,

A ação durou cerca de 40 segundos.

Estado de saúde

O estado de saúde de Juliane piorou nesta quarta-feira (8). Além dela, três vítimas do incêndio criminoso em um dos ônibus na Vila Sarney continuam internadas, sendo uma delas em estado grave.

Segundo o Hospital Geral do Estado Tarquínio Lopes, em São Luís, onde a jovem está internada deste o último sábado (4), ela teve complicações nas funções renais e foi transferida da Unidade Semi Intensiva para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Juliane está com 40% do corpo queimado e deverá ser transferida para o Hospital Regional da Asa Norte, em Brasília, ainda nesta semana.

A bebê Lorrane Beatriz Santos, de 1 ano e 5 meses, filha de Juliane, continua internada no Hospital Infantil Estadual Juvêncio Mattos e o estado de saúde dela é estável.

A menina teve 20% do corpo queimado, quando teve as pernas e o braço esquerdo atingidos pelo fogo. Ela está internada no isolamento da enfermaria pediátrica e seu quadro de saúde é estável.

O bisavô de Ana Clara, Dasico Rodrigues da Silva, 80, se sentiu mal e morreu no domingo (5) ao ser comunicado que a neta estava internada.

Transferência

O homem que ajudou Ana Clara após o ataque, Márcio Jonny da Cruz Nunes, 37, foi transferido na tarde desta quarta-feira (8) para o Centro de Referência de Queimados em Goiânia em um helicóptero, acompanhado de um médico e dois enfermeiros.

Nunes está sedado devido às fortes dores que sente pelo corpo, que está 70% queimado. Ele respira com ajuda de aparelhos.  Segundo testemunhas, ele entrou pelas chamas e retirou a menina Ana Clara do veículo.

De acordo com o boletim médico divulgado nesta quarta-feira, Abianci Silva dos Santos, 35, está respondendo bem ao tratamento feito no braço direito.  Ela está internada enfermaria Clínica Cirúrgica, estável, com 10% área queimada.

Mais Cotidiano