PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Liminar da Justiça e ação do Juizado de Menores coíbem "rolezinhos" em Minas Gerais

Carlos Eduardo Cherem

Do UOL, em Belo Horizonte

19/01/2014 19h17Atualizada em 19/01/2014 20h04

A ação de seguranças de shoppings, da PM (Polícia Militar) e do Juizado de Menores impediu a realização de "rolezinhos" na Grande Belo Horizonte, neste sábado (18) e domingo (19). Os três rolés marcados para este fim de semana nas redes sociais, com a presença confirmada de cerca de 2,6 mil pessoas, não aconteceram.

Em dois shoppings, crianças e adolescentes menores de 18 anos só puderam entrar acompanhadas por adultos. Em alguns casos, quando os maiores não eram parentes, os seguranças anotaram nomes e números de identidades dessas pessoas.

Com a presença confirmada de um número superior a 800 pessoas nas redes sociais, o "rolezinho" marcado para a tarde deste domingo (19) no Pátio Savassi, naquele que seria o primeiro “rolezinho” em shoppings da Zona Sul de Belo Horizonte, região nobre da capital mineira, não aconteceu.

A PM ocupou o entorno do shopping com efetivos. A segurança interna foi reforçada e uma equipe de 20 membros do Juizado de Menores ocupava as três entradas do Pátio Savassi.

“Estamos procurando conter esses possíveis eventos, denominados rolezinhos. Encontramos nesses eventos menores que haviam consumido álcool e estamos procurando inibir essas ocorrências”, afirmou o coordenador da equipe do Juizado de Menores Paulo César do Nascimento.

No "rolezinho" marcado para o Pátio Savassi, os organizadores reforçaram o pedido para que o ato fosse realizado sem abusos e de forma pacífica.

“Vamos curtir, sem roubar, sem escandalizar. Sem bater nas pessoas, mantendo o respeito”, disse um dos organizadores, identificado como Omar Motta. Um dos jovens que confirmaram presença, porém, afirmou que iria levar armamento para se precaver caso seguranças tentassem impedir o movimento.

A PM não informou o efetivo utilizado em ruas e avenidas do entorno do empreendimento. A reportagem do UOL verificou que um helicóptero da corporação sobrevoou a região às 16 horas, horário marcado para o “rolezinho”. Veículos da PM e membros da Cavalaria da Corporação ocupavam as esquinas de vias que dão acesso ao shopping. 

A direção do Pátio Savassi não informou o aumento do efetivo de segurança, que reforçou o policiamento nas três entradas e nos corredores do empreendimento. Em nota, a direção do shopping disse que “sempre que toma conhecimento de algum evento que possa afetar o bem-estar de seus clientes e lojistas, o empreendimento toma as medidas que entende cabíveis”.


Menor desacompanhado não entra

Crianças e adolescentes menores de 18 anos, desacompanhados de pais ou responsáveis, foram barrados no Minas Shopping, região nordeste de Belo Horizonte, na tarde deste sábado (18). Em alguns casos, os seguranças anotaram os nomes e números de identidade, quando os responsáveis não eram parentes dos menores.

Mais de 300 pessoas haviam confirmado presença em evento denominado “Apartheid às Avessas”, marcado para 14h30, que acabou não acontecendo.

A direção do Minas Shopping não divulgou um balanço de quantos menores de idade foram barrados. Por meio de nota, informou que “como já estava ciente do evento, se reuniu com representantes das polícias Militar e Civil durante a semana e reforçou a segurança própria para preservar a integridade de visitantes e funcionários”.

O efetivo de segurança foi cerca de 30% maior. “A orientação da administração à segurança foi fazer, quando necessária, verificação da documentação no caso da formação de grupo de pessoas”, diz a nota do shopping.

Liminar 

O "rolezinho" marcado também para a tarde deste sábado (18) no Itaú Power Shopping, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, foi frustrado por liminar que proibiu “rolezinhos” no empreendimento. Mais de 1,5 mil pessoas haviam confirmado presença no evento pelas redes sociais.

O juiz da 3ª Vara Civil de Contagem André Tonello de Almeida determinou na liminar que os jovens “se abstenham de praticar qualquer ato tendente a turbação ou esbulho”. O juiz determinou ainda que crianças e adolescentes que tentassem realizar o rolé fossem apreendidas.

A segurança do shopping foi reforçada. A PM reforçou o policiamento no entorno do empreendimento e equipe do Juizado de Menores permaneceu nas entradas do Itaú Power.

Crianças e adolescentes desacompanhos de pais ou responsáveis também foram barradas. Alguns desses jovens impedidos de entrar permaneceram próximos da portaria principal do shopping, mas foram afastados por seguranças.  

Cotidiano