PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Rolezinho "de protesto" com 30 pessoas encontra shopping fechado em Brasília

Shopping Iguatemi, em Brasília, fecha as portas e reforça segurança contra rolezinho neste sábado (25) - Franco Rithele/Futura Press/Estadão Conteúdo
Shopping Iguatemi, em Brasília, fecha as portas e reforça segurança contra rolezinho neste sábado (25) Imagem: Franco Rithele/Futura Press/Estadão Conteúdo

Edgard Matsuki*

Do UOL, em Brasília

25/01/2014 16h33

Com aparência de protesto político, o rolezinho marcado para este sábado (25) no shopping Iguatemi, em Brasília, não contou com a presença de muitas pessoas. Enquanto nas redes sociais 3.000 pessoas confirmaram presença no evento, que vinha sendo promovido por meio das redes sociais desde o dia 13 de janeiro, na prática cerca de 30 pessoas foram ao local.

Apesar do pequeno número de pessoas presentes no local, o anúncio do rolezinho marcado para este sábado "para protestar contra a discriminação social" conseguiu fechar o shopping Iguatemi. A decisão foi comunicada no site oficial do shopping na manhã deste sábado.

No comunicado, o Iguatemi apontou que "respeita as manifestações democráticas e pacíficas, mas o espaço físico e a operação de um shopping não são planejados para receber qualquer tipo de manifestação".

Para Franklin de Melo, um dos organizadores do rolezinho, a decisão da direção do shopping de fechar as portas já é uma vitória para os organizadores do evento. “A gente conquistou uma vitória política muito grande pautando a discussão sobre a discriminação. Acho que a decisão mostra que a discriminação dos grandes empresários perante à periferia”, afirma.

Rolezeiros vindos de longe

A grande maioria dos participantes do “rolezinho político” eram ligados à movimentos sociais. Porém, algumas pessoas que nem conheciam a organização também foram ao local. “Eu vim de Anápolis. Viajei 120 Km para o rolezinho e o shopping está fechado. Acredito que rolou uma discriminação. Queria comprar alguma coisa, lanchar. Mas com o shopping fechado não dá”, afirma o estudante Renato Pereira Júnior.

Com o Iguatemi fechado, os “rolezeiros” se concentraram em frente do shopping. Com uma caixa de som tocando alguns funks “não proibidos” e rock, o pequeno grupo ficou à beira da pista principal do Lago Norte. Em alguns momentos, pessoas que estavam em carros gritavam “vagabundos” para os participantes do evento.

Segurança

Enquanto os rolezeiros “estavam se divertindo” do lado de fora, seguranças ficaram na entrada do shopping. O shopping não divulgou o número exato de seguranças, mas apenas na frente do shopping havia 30 pessoas de olho em manifestações.

A Polícia Militar do DF reforçou o efetivo na região. De acordo com o comandante da operação, Major Lisboa, houve um reforço de viaturas na região. Porém, não houve confrontos durante o protesto.

Parkshopping tem movimento normal

O rolezinho marcado para este sábado (25) em um dos principais shoppings de Brasília, o Parkshopping, acabou não reunindo adeptos. O evento, convocado por meio da rede social Facebook, tinha mais de 4,8 mil pessoas convidadas e cerca de 200 chegaram a confirmar presença.  No local, no entanto, o movimento foi normal como em qualquer outro fim de semana, em que o centro comercial chega a receber 30 mil visitantes por dia. 

De acordo com a assessoria do shopping, o efetivo de segurança chegou a ser reforçado, mas não houve mobilização fora da rotina. Segundo o convite no Facebook para o rolezinho, criado por Alan Lago, o objetivo era reunir Mcs de Brasília "com alegria" - a exemplo dos primeiros rolezinhos feitos em São Paulo, que eram um protesto contra a proibição de tocar funk nas ruas da cidade.

Cotidiano