PUBLICIDADE
Topo

Exército é autorizado a entrar na Maré a partir de sábado

Do UOL, no Rio

01/04/2014 15h54

As Forças Armadas estão autorizadas a entrar nas comunidades do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, a partir do primeiro minuto de sábado (5), em apoio às forças de segurança pública fluminense.

A diretriz assinada pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, determina o emprego das tropas em missão de GLO (Garantia da Lei e da Ordem), conforme pedido feito pelo governador Sergio Cabral (PMDB).

A GLO se dará nas seguintes localidades: Praia de Ramos, Parque Roquete Pinto, Parque União, Parque Rubens Vaz, Nova Holanda, Parque Maré, Conjunto Nova Maré, Baixa do Sapateiro, Morro do Timbau, Bento Ribeiro Dantas, Vila dos Pinheiros, Conjunto Pinheiros, Conjunto Novo Pinheiros (Salsa & Merengue), Vila do João e Conjunto Esperança. 

Forças de segurança ocupam o complexo da Maré, no Rio

O aparato militar permanecerá, em princípio, até o dia 31 de julho sob o comando do general Roberto Escoto, comandante da Brigada de Infantaria Paraquedista, situada na Vila Militar, na capital fluminense.

Com isso, as Forças Armadas poderão efetuar prisão em flagrante, patrulhamento e vistoria. Além da Brigada Paraquedista, as forças militares contarão com apoio de batalhões e brigadas de outras regiões. O planejamento está sendo definido pelo Coter (Comando de Operações Terrestres), em Brasília.

Por se tratar de ação conjunta, que contará também com a participação de militares da Marinha e da Aeronáutica, as articulações estarão a cargo do chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general José Carlos De Nardi.

Principal interlocutor do ministro Amorim nos preparativos para o emprego das Forças no Complexo da Maré, De Nardi participou de reuniões com o governador Cabral e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e com os principais assessores do governo fluminense na área de segurança pública.

Ocupação

O Complexo da Maré, formado por 15 comunidades situadas em uma área estratégica da cidade --próxima a vias como avenida Brasil, Linha Amarela e Linha Vermelha, além de estar na rota para o Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão--, foi ocupado no domingo (30) pelas forças policiais do Estado do Rio.

A operação contou com o apoio logístico da Marinha, que cedeu blindados para a Secretaria de Estado de Segurança Pública. A ação de retomada do território durou 15 minutos e nenhum tiro foi disparado, informou o governo do Estado.

Em nota, a Polícia Militar informou que 300 homens do COE (Comando de Operações Especiais), unidade formada pelo Bope (Batalhão de Operações Especiais), BPChoque (Batalhão de Choque), entre outras divisões, serão responsáveis pela segurança no Complexo da Maré até a chegada das tropas do Exército --que permanecerá no local por tempo indeterminado.

Cotidiano