PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Após tremores, Montes Claros (MG) ensina alunos a se proteger

Alunos ganham cartilha sobre tremores - Divulgação
Alunos ganham cartilha sobre tremores Imagem: Divulgação

Carlos Eduardo Cherem

Do UOL, em Belo Horizonte

08/04/2014 12h44

Depois que um novo tremor foi registrado às 23h59 desta segunda-feira (7), a Prefeitura de Montes Claros (MG) (420 km de Belo Horizonte) iniciou a distribuição de 6.000 cartilhas a estudantes do município para tentar ensinar à população como se prevenir e se proteger de desastres naturais como tremores de terra, deslizamentos de terra, inundações e quedas de raios. Além da cartilhas, os alunos terão palestras com membros da prefeitura e da Defesa Civil.

Alunos ganham cartilha - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Segundo o secretário municipal de Defesa Social, Franklin de Paula Silveira, a campanha começa pelas escolas municipais de Montes Claros e, posteriormente, será estendida para alunos da rede estadual e de escolas particulares.
“Os alunos serão multiplicadores destas informações em suas famílias”, afirmou Silveira.

A publicação traz dicas como, por exemplo, a de se proteger debaixo das vigas da casa quando houver um tremor.

Na segunda-feira (7), o prefeito de Montes Claros, Ruy Munis (PRB), disse que também vai propor mudanças na legislação do município que regulamenta a liberação dos projetos de construção.

Em parceria com faculdades do município, Munis pretende criar programas para “melhorar as condições das casas para que elas suportem os abalos”.

O prefeito também anunciou a aquisição de dois sismógrafos. Atualmente, funcionam no município dois aparelhos da UnB (Universidade de Brasília) e um da Unimontes (Universidade Estadual de Montes Claros), que irá criar um núcleo de estudos de sismologia para aprofundas as pesquisa sobre as causas dos tremores.

“Sozinha, a prefeitura não dá conta de enfrentar essa situação. Temos de nos preparar, pois pode ocorrer um fato de maior proporção”, disse o prefeito.

Segundo Muniz, o pacote de medidas é uma tentativa de evitar que o pânico prejudique a economia do município, já que hotéis e agências de turismo da cidade de 400 mil habitantes teriam sofrido com cancelamentos de reservas de hospedagem e passagens desde que os tremores ocorreram.

Ontem, equipes percorreram a cidade durante toda a madrugada, atendendo pedidos da população. De acordo com a Defesa Civil, o número do telefone de emergência 193 recebeu mais de cem ligações até o início da manhã desta terça-feira (8).

Não houve ocorrências graves, acidente ou feridos. Seis casas, de acordo com relato de moradores aos bombeiros, tiveram rachaduras. Um número não estimado de pessoas passou a noite na rua.

O observatório da UnB refez os cálculos e divulgou novas magnitudes para os tremores deste domingo (6) em Montes Claros. O primeiro abalo foi de 3,9 --e não 4,2 como tinha sido divulgado. Na seqüência, ocorreram mais dois tremores não registrados. E, por fim, um tremor às 16h31 de 3,8 de magnitude, e não de 4,1, conforme divulgado.

Sistema de amortecimento

A fábrica da Alpargatas em Montes Claros, que produz as sandálias Havaianas, foi inaugurada há cinco meses já com um sistema de amortecimento nos pilares dos galpões das linhas de produção, capaz de suportar abalos sísmicos.

A tecnologia veio do Japão, país acostumado a lidar com frequentes terremotos.

Cotidiano