PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

População de SP corre risco com "operação precária" de trens, diz sindicato

Gil Alessi

Do UOL, em São Paulo

06/06/2014 12h34

O presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino Melo Prazeres, afirmou nesta sexta-feira (6) que os funcionários escalados pelo Metrô para comandar os trens durante a greve da categoria não estão preparados para a função. A companhia afirma que a tarefa tem sido executada por "funcionários com treinamento".

"Existe um risco em colocar o sistema para funcionar precariamente. Estes trabalhadores são supervisores e outros funcionários que não estão acostumados com a função, não fazem isso no seu dia a dia”, afirmou Altino.

"Nós os conhecemos [estes funcionários] há anos. Eles não estão acostumados a ficar na frente de um trem, é muita pressão na cabeça deles”, declarou o sindicalista. "Eles estão torcendo para que a greve acabe, e eles deixem de realizar esta função."

O Metrô afirmou que os funcionários que estão operando trens são ou ex-condutores ou instrutores e que a os trabalhadores administrativos colaboram com serviços, como a venda de bilhetes, entre outros. 

Altino afirmou que o sindicato está procurando representantes do Metrô e do governo estadual para retomar as negociações. Uma assembleia da categoria está marcada para as 17h de hoje.

Greve

No segundo dia de greve dos metroviários, as três principais linhas do sistema operam parcialmente nesta sexta-feira: a linha 1-azul opera da estação Ana Rosa à Luz, a linha 2-verde vai da Paraíso à Vila Madalena e a linha 3-vermelha funciona da Bresser Mooca até Marechal Deodoro. As linhas 5-lilás e 4-amarela operam normalmente, com todas as estações abertas.

Raio-X dos Metroviários

  • 9.475 funcionários

    3.136 operadores, 1.206 manutenção, 1.147 seguranças, 1.016 técnicos

  • Piso

    R$ 1.323,55

  • Orçamento do sindicato

    R$ 5,5 milhões/ano

  • Data-base

    1º de maio

Negociações

  • Reivindicação dos metroviários

    12,2%, reivindicação anterior era de 16,5%

  • Proposta do governo do Estado

    8,7%, proposta anterior era de 7,8%

  • Decisão da Justiça

    8,7% foi o percentual decidido pelo TRT

  • Último reajuste concedido

    8%, ante INPC de 7,2%, no ano passado

Histórico de greves no metrô

  • 23.mai.2012

  • 2 e 3.ago.2007

  • 14.jun.2007

  • 15.ago.2006

  • 17 e 18.jun.2003

  • 25 e 26.jun.2001

  • 2.jun.2000

  • 9.dez.1999

  • 24.nov.1999

Cotidiano