PUBLICIDADE
Topo

Polícia usa scanner 3D na perícia de viaduto que desabou em Belo Horizonte

Rayder Bragon

Do UOL, em Belo Horizonte

07/07/2014 06h00

Um aparelho que funciona como scanner de imagens 3D foi adotado pelos peritos da Polícia Civil de Minas Gerais no trabalho de análise da estrutura do viaduto Batalha de Guararapes, que desabou na última quinta-feira (3), em Belo Horizonte. O instrumento capta sequências de fotos, que são transformadas em imagens em 3D num programa de computador.

mapa desabamento viaduto guararapes belo horizonte - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Segundo o diretor do Instituto de Criminalística (IC), da Polícia Civil de Minas Gerais, Marco Antônio Paiva, o aparelho é um auxílio importante nos trabalhos dos peritos. “Ele permite transformar as imagens do plano físico em imagens virtuais tridimensionais. Assim, você consegue analisá-las de diversos ângulos. Poderemos confrontar a situação atual da estrutura do viaduto com a que estava no projeto”, explicou. “Podemos fazer uma série de medições que vão contribuir, alinhadas a outros elementos, para efetivamente descobrir o que proporcionou o colapso da estrutura."

Paiva disse que o aparelho foi emprestado à polícia pelo fabricante, que fica em Santa Catarina. "É uma novidade. Eu não tenho notícia de esse tipo de aparelho ter sido usado em alguma perícia no Brasil. Eu ouvi dizer que possivelmente ele tenha sido aplicado no caso da Boate Kiss [tragédia que matou centenas de pessoas, em Santa Maria (RS), no ano passado]", contou.

O scanner tem uma margem de erro de dois milímetros, o que, na opinião do diretor, não é relevante para a perícia. “Eu diria que é de uma precisão total. Dois milímetros, nesse caso, não vão fazer diferença nenhuma em qualquer conclusão.”

Acompanhamento da demolição

Agora os peritos aguardam a liberação para a demolição do viaduto para dar início a próxima fase da investigação. O TJ-MG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) determinou neste domingo (6) que a área do viaduto seja preservada para perícia, e os trabalhos de demolição, adiados.

Paiva afirmou que a perícia será feita paulatinamente, acompanhando os trabalhos de demolição da estrutura do viaduto. “À medida que forem retirando os escombros, vamos verificar como estavam sendo feitos os escoramentos, à medida que forem sendo expostas as ferragens nós vamos confrontar para checar se elas estavam de acordo com o projeto, vamos colher amostras do concreto”, disse.

Ainda segundo o perito, o foco depois disso será o pilar principal do viaduto, que teria afundado seis metros. "Essa área está totalmente preservada, porque é a área foco de interesse da perícia’, afirmou.

No desabamento do Batalha de Guararapes, foram atingidos um micro-ônibus, um Fiat Uno e dois caminhões. A motorista do micro-ônibus Hanna Cristina dos Santos, 26, e o condutor do Fiat Uno, Charles Frederico Moreira do Nascimento, 25, morreram.

Cotidiano