PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Suspeito de matar homossexual em Goiás é preso após confessar crime

João Antonio Donati, morto em Goiás em crime de motivação homofóbica - Reprodução/Facebook
João Antonio Donati, morto em Goiás em crime de motivação homofóbica Imagem: Reprodução/Facebook

James Cimino

Do UOL, em São Paulo

12/09/2014 19h15

Foi preso na noite desta sexta-feira (12), na cidade de Inhumas (GO), o jovem Andrié Maicol Ferreira da Silva, de 20 anos, após ter confessado ser o autor da morte do jovem João Antônio Donati, 18, por asfixia.

Segundo contou ao UOL o delegado que cuida do caso, Humberto Teófilo, o suposto assassino e sua vítima teriam se encontrado durante a madrugada de quarta-feira (10) e se encaminharam ao terreno onde o corpo de Donati fora encontrado para terem relações sexuais.

Durante o ato, segundo depoimento do suspeito ao delegado, os dois teriam se desentendido e entrado em luta corporal. Silva então teria enforcado a vítima e enfiado diversas sacolas plásticas em sua boca.

A polícia chegou ao suspeito após encontrar as identidades deles no local onde estava o corpo.

Ainda de acordo com o delegado, Silva nega ser homossexual e diz que não teve a intenção de matar o rapaz. Disse ainda que não conhecia Donati.

A mãe de João Antônio, Maria Divina Donati, conversou brevemente com a reportagem e disse estar chocada. "Meu filho era alegre, bonito, comunicativo. Todo mundo na família sabia que ele era gay e aceitava. Ninguém tinha problema com isso aqui. Ele nunca brigou com ninguém. Não tinha inimigos que eu saiba. Estou muito triste."

De acordo com o delegado, o laudo da morte de Donati emitido pelo Instituto Médico Legal (IML) foi concluído na quinta-feira. O documento aponta que a vítima lutou com o agressor antes de morrer e que não havia nenhuma fratura no corpo.

“Ele tinha diversos hematomas pelo rosto. O fato de ele não ter nenhuma fratura pode indicar que o assassino ficou segurando-o enquanto ele não conseguia respirar”, disse.

Cotidiano