PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Base de UPP no Lins (RJ) é incendiada após confronto entre PMs e criminosos

A base da UPP do Lins, na zona norte do Rio, foi incendiada após um tiroteio entre traficantes e policiais. Os criminosos atearam fogo em dois contêineres usados pela PM - Gabriel de Paiva / Agência O Globo
A base da UPP do Lins, na zona norte do Rio, foi incendiada após um tiroteio entre traficantes e policiais. Os criminosos atearam fogo em dois contêineres usados pela PM Imagem: Gabriel de Paiva / Agência O Globo

Do UOL, no Rio

23/10/2014 07h59

Contêineres que servem como base da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do Lins de Vasconcelos, na zona norte do Rio de Janeiro, foram incendiados por criminosos na madrugada desta quinta-feira (23), depois de um intenso confronto entre policiais militares e criminosos que atuam na região.

Os atos de violência na região começaram ainda na noite de quarta-feira (22). Na manhã de hoje, segundo imagens aéreas feitas pela TV Globo, ainda era possível ver resquícios de chamas na base da unidade policial. A ocorrência foi registrada na delegacia de Todos os Santos (26ª DP).

De acordo com a PM, um policial militar e dois moradores ficaram feridos durante o tiroteio. Atingido no pé, o PM foi socorrido para o Hospital Naval Marcílio Dias, onde foi medicado e liberado. Um jovem de 17 anos foi baleado na perna, passou por cirurgia na noite de ontem e se recupera normalmente no Hospital do Andaraí, na zona norte. Já Marlon Ramos de Oliveira, 22, foi baleado no abdômen, passou por cirurgia e segue estável no Hospital Salgado Filho, no Méier, na mesma região.

Após o confronto, informou a Polícia Militar, moradores das comunidades do Lins teriam feito um protesto contra a UPP, e objetos como paus e pedras teriam sido lançados durante essa manifestação. O incêndio na base da unidade teria sido provocado pelo lançamento de um coquetel molotov. O Corpo de Bombeiros enviou militares para combater as chamas.

Em entrevista à Folha, o delegado-adjunto da 25ª DP Rodrigo Barros disse que o ataque seria uma reação de traficantes de drogas contra a ocupação da polícia no conjunto de favelas. A unidade foi implantada há menos de um ano, em dezembro de 2013.

Ainda no decorrer da madrugada, a segurança na região foi reforçada por homens de outras UPPs da zona norte, do Bope (Batalhão de Operações Especiais) e do Batalhão de Choque. Os principais acessos ao Lins foram ocupados pelos policiais. Dois suspeitos foram detidos e encaminhados para a delegacia. As identidades não foram divulgadas pela PM.

Cotidiano