Topo

Irmão do ex-goleiro Bruno é preso suspeito de estupros em série no Piauí

Reprodução - 11.set.2013/TV Meio Norte
Rodrigo Fernandes de Sousa, 26, irmão do ex-goleiro Bruno, é suspeito de estupros Imagem: Reprodução - 11.set.2013/TV Meio Norte

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, em Maceió

2015-09-03T20:21:42

03/09/2015 20h21

O irmão do ex-goleiro Bruno, Rodrigo Fernandes das Dores de Sousa, 26, foi preso em flagrante nesta quinta-feira (3), em Timon (MA), cidade-limite com Teresina. Ele é suspeito de estupro de uma menor no bairro Satélite, na capital piauiense, na noite dessa quarta-feira (2).

A Polícia Civil do Piauí informou que Rodrigo já prestou depoimento na Central de Flagrantes de Teresina, onde está detido à disposição da Justiça. O crime está sendo investigado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. Além desse caso, Rodrigo ainda é suspeito de pelo menos outros seis estupros na zona sudeste de Teresina.

Em depoimento, a adolescente contou que Rodrigo a abordou em uma moto, quando ela retornava a pé para casa. Ele perguntou sobre um endereço, mas a jovem disse que não sabia. Em seguida, anunciou o assalto, mas falou que não queria objetos, e a mandou subir na moto e a levou para um lugar isolado --onde teria a estuprado.

Outros casos

Depois da repercussão da prisão, outras vítimas procuraram a polícia também nesta quinta-feira para denunciar o irmão de Bruno. Em entrevista à TV “Cidade Verde”, a delegada da Mulher da Zona Sudeste, Anamelka Cadena, informou que o irmão do ex-goleiro responde a quatro inquéritos, com seis supostas vítimas. “Em dois casos, foram duas mulheres estupradas juntas”, disse.

A delegada disse que já tinha pedido à Justiça a prisão de Rodrigo e aguardava a decisão. Com a detenção em flagrante, as vítimas que o denunciaram foram nesta tarde à Central de Flagrantes e reconheceram o agressor.

Segundo a delegada, a polícia já monitorava o suspeito há alguns dias. “Nós sabíamos dos casos que estavam ocorrendo na nossa área de atribuição. Todos os depoimentos foram colhidos. Tivemos o cuidado de refazer o todo caminho que foi feito para o estupro, fizemos a coleta das imagens de câmeras de segurança. Ele fazia sempre abordagem na rua, mas levava a outro local fechado, geralmente”, explicou.

Além dos estupros, também há denúncia de que Rodrigo roubava celulares das vítimas.

Rodrigo ainda não constituiu advogado, segundo informou a Central de Flagrantes, e deve ser defendido por um defensor público. Em depoimento à polícia, a delegada Anamelka Cadena informou que o irmão de Bruno negou todas as acusações.

Mais Cotidiano