Topo

Presos em cadeia de RR fazem festas, usam piscina e postam tudo na internet

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

03/09/2015 15h39Atualizada em 03/09/2015 16h25

Detentos da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, localizada na zona rural de Boa Vista (RR), fizeram fotos de festas e do uso de uma piscina construída com cimento dentro da unidade prisional. As imagens foram divulgadas nesta quinta-feira (3) por servidores lotados na penitenciária, após apreensão de telefones celulares em revista na cadeia ocorrida recentemente.

Segundo um agente penitenciário lotado na cadeia, que pediu para não ser identificado, os presos vivem livremente dentro da penitenciária, pois construíram barracos fora dos alojamentos, montaram bar e mercadinho e criam até galinhas.

“É complicado fazer revista nos alojamentos para controlar a entrada de objetos ilícitos porque eles fizeram barracos e vivem em uma verdadeira favela. Só podemos entrar com a escolta da PM (Polícia Militar), mas, mesmo assim, muitas vezes chegam entregas que a direção informa para não serem revistadas”, conta o agente penitenciário.

Nos fins de semana, segundo agentes penitenciários, os presos que têm boas condições financeiras costumam fazer churrascos e festas.

"Chegam caminhões de refrigerantes e bebidas compradas pelos presos e a direção deixa passar tudo, não temos a ordem de fazer revista nesses casos", disse outro agente penitenciário, que também pediu para não ser identificado.

As comemorações são regadas a bebidas alcoólicas e, sem o controle da segurança, não têm hora para terminar.

O preso Sebastião Frank Santos da Silva foi fotografado “ostentando” a cama repleta de latas de cerveja e garrafas de bebidas alcoólicas que seriam usadas nas festas dentro da prisão. Apesar de estar numa unidade prisional, na foto se vê que a cama de Silva é de madeira.

Segundo agentes penitenciários, o preso está na ala 12, que é o alojamento dos internos que tem dinheiro e conseguem “negociar com a direção o direito de ficar em quartos individuais”.

“Na ala 12 estão os internos com melhor poder aquisitivo. Lá, os quartos têm cerâmica no piso e ainda televisão, home theater, videogame e frigobar. Eles negociam com a direção essas regalias e acabam comprometendo o trabalho dos agentes penitenciários”, disse o funcionário. Segundo o servidor, a ala 12 recebe presos que foram mandados para presídios federais e voltaram ao Estado.

Ser uma das “torres” --como são chamados os presos que são lideranças de facção criminosa – dá direito a eles se refrescarem em uma piscina na área externa da ala 12. Em uma das fotos descobertas pelos policiais, o preso Anderson Monteiro Alves aparece matando o calor dentro na piscina sem nem sequer aparentar que está dentro de uma prisão. Além disso, o preso tem acesso à internet para exibir a “ostentação” dentro da penitenciária. A imagem foi postada no Facebook em um perfil usado pelo preso.

"A direção alega que é um tanque para a criação de patos, mas nunca vimos nenhuma ave lá se refrescando. São usadas pelos presos e não podemos fazer nada porque a piscina foi construída pelos detentos com consentimento da direção", disse o agente penitenciário.

Em outra foto, um grupo de presos integrantes de facção criminosa aparece com um bolo em comemoração ao aniversário de um deles. Leno Rocha Castro é quem segura o bolo enquanto um outro colega segura uma garrafa com “batida”, espécie de bebida alcoólica artesanal com cachaça.

A regalia de presos da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo também foi criticada pelo Sindape-RR (Sindicato dos Agentes Penitenciários de Roraima). O vice-presidente do Sindape-RR, Lindomar Sobrinho, confirmou que os presos que aparecem nas fotos são internos da Monte Cristo. Sobrinho disse que o sindicato recebe denúncias constantes de agentes lotados na penitenciária sobre a falta de condições de trabalho para manter a ordem e a segurança do presídio.

“Os armamentos que temos lá são obsoletos, os rádios comunicadores vivem falhando e comprometem a comunicação da segurança. Também não tem sistema de monitoramento por meio de câmeras. Desde dezembro que os agentes estão dormindo em um trailer emprestado depois que os presos tocaram fogo para atentar contra a vida dos agentes que trabalham lá. A situação é crítica e a penitenciária está em colapso”, disse Sobrinho.

O governo do Estado informou ao UOL que a Sejuc (Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania) iniciou nesta quinta-feira (3) a análise das fotos divulgadas pela imprensa para detectar se as imagens são recentes. Segundo a secretária-adjunta de Comunicação do governo do Estado, Loide Gomes, a Sejus vai se posicionar sobre o assunto quando concluir a investigação.

Sobre denúncias dos agentes penitenciários tratados na reportagem, a secretaria informou que ainda vai elaborar uma nota com o posicionamento do Estado sobre o assunto.

Cotidiano