Topo

Youtubers são presos simulando roubo de BMW no Paraná

O youtuber Tiago Fonseca de Lima foi detido pela Polícia depois de simular um furto de carro - Reprodução
O youtuber Tiago Fonseca de Lima foi detido pela Polícia depois de simular um furto de carro Imagem: Reprodução

Carlos Ohara

Colaboração para o UOL, em Curitiba

10/12/2015 18h29

Três integrantes do canal "Boom", hospedado no Youtube e especializado em pegadinhas, foram detidos por policiais militares em Apucarana, na região Norte do Paraná, no momento em que simulavam o furto de um veículo BMW -- modelo X1 -- na área central da cidade. A prisão ocorreu na tarde de quarta-feira (9).

Uma ação policial que seria realizada em outra região da cidade teve que ser adiada para o atendimento da ocorrência envolvendo os youtubers.

Tiago Fonseca de Lima, Maicon Amaro Viana e Geovani Presley de Souza Sancco foram conduzidos para delegacia, onde foram autuados por provocação de tumulto e perturbação do trabalho - crimes previsto nos artigos 40 e 42 da Lei Contravenções Penais, com penas previstas que variam entre 15 dias a seis meses de prisão, geralmente convertidas em penas alternativas, sem restrição de liberdade.

De acordo com o delegado José Aparecido Jacovós, chefe da 17ª Subdivisão Policial, os youtubers foram liberados após depoimento. De acordo com fontes policiais, Tiago Fonseca, que apresenta o canal, já teve passagens em outras delegacias da região pela prática de contravenções similares e ainda não foi julgado. "É uma irresponsabilidade total e poderia resultar em uma situação de risco, inclusive para eles", comentou Jacovós.

O setor de Relações Públicas do 10º Batalhão da Polícia Militar informou que dezenas de ligações foram realizadas para o telefone de emergência, alertando sobre a presença de ladrões de veículos agindo no centro comercial de Apucarana.

Três viaturas foram enviadas ao local e encontraram os integrantes do canal do Youtube, munidos com arames e simulando o furto de uma BMW, na cor branca. Ao serem abordados, eles informaram que estavam gravando uma pegadinha para o canal da internet. A revelação provocou revolta em populares que acompanhavam a cena.

Ao checar os documentos veículo utilizado pelos youtubers, a polícia descobriu que o carro estava em nome de um empresário de Maringá, que teria vendido o automóvel para Tiago Fonseca há cerca de 30 dias. O líder do canal "Boom" ainda não teria providenciado a transferência para seu nome.

Em contato com o UOL, Tiago Fonseca preferiu não abordar o assunto. Segundo ele, as explicações sobre a ocorrência em Apucarana serão abordadas por sua equipe no próximo domingo (13). "É um projeto nosso, que a gente não pode expor agora", disse ele.

O "Boom" tem mais de 3,3 milhões de inscritos no canal do Youtube.
 

Mais Cotidiano