Diego Herculano/AFP

Violência no Rio

PMs de UPP denunciados por tortura e estupro em favela são presos no Rio

Vitor Abdala

Da Agência Brasil, no Rio

A Polícia Civil do Rio de Janeiro deteve na quinta-feira (14) oito PMs suspeitos de tortura e estupro contra quatro jovens na madrugada de 25 de dezembro de 2015. Os mandados de prisão temporária foram expedidos pela 34ª Vara Criminal do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio), na quarta (13), e cumpridos por agentes da 6ª DP (Cidade Nova), com apoio da Corregedoria da Polícia Militar.

Presos, Jordane Cabral da Silva, Vinicius de Amorim Tosta, Antônio Carlos de Oliveira, Diogo Santos Bocks da Silva, Helder Omena Ferreira Ribeiro, Rafael dos Santos do Amaral, Wesley Medina Assis e Carlos André Lourenço do Nascimento estão agora à disposição da Justiça. Os oito são lotados na UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) das comunidades da Coroa, Fallet e Fogueteiro, em Santa Teresa, na região central da capital fluminense.

O grupo é suspeito de torturar quatro jovens, com idades entre 13 e 23 anos, quando eles retornavam para Santa Teresa, por volta das 4h. Em depoimento à Polícia Civil, no dia do crime, as vítimas contaram que foram abordadas, agredidas e obrigadas a ficar nuas na rua Prefeito João Felipe, na madrugada do dia de Natal.

De acordo com os relatos dos jovens, os policiais fizeram a abordagem com chutes no rosto e no tórax, acusando as vítimas de serem bandidos. Depois, iniciaram os supostos atos de tortura.

Ainda segundo a denúncia, os agentes feriram com uma faca quente e um isqueiro os quatro jovens, que ainda foram obrigados a ficarem nus e a praticar sexo oral entre eles, enquanto um dos policiais os filmava.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos