Homem suspeito de abusar de criança tem a casa incendiada no RS

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

Um homem de 41 anos foi preso na noite dessa terça-feira (9) suspeito de raptar, agredir e violentar uma menina de cinco anos no litoral norte do Rio Grande do Sul. A criança havia sido raptada em frente de casa, no bairro Santa Luzia, na praia de Capão da Canoa (135 km de Porto Alegre), na tarde de segunda-feira. Imagens de uma câmera de vigilância captaram a vítima sendo levada de bicicleta pelo suspeito.
 
A fotografia distanciada do homem conduzindo a bicicleta com a menina circulou nas redes sociais. Nessa terça, uma denúncia anônima chegou até a Polícia Civil dando conta da identificação e o paradeiro do homem que possivelmente aparecia na imagem. Ele seria Marco Aurélio Bitencourt, morador da região.
 
"Temos uma testemunha que viu o momento em que ele raptou a menina na rua, colocou-a na bicicleta e saiu em rumo desconhecido. Esse fato também foi captado por uma câmera de segurança. No celular dele, foi encontrado um vídeo, em que ele está com a vítima fazendo atos sexuais. Ele não só fez, como gravou", afirmou o delegado Leandro Antunes.
 
Bitencourt foi surpreendido em casa, na avenida central de Capão da Canoa, no início da noite de terça. Conforme a polícia, ele resistiu à prisão e tentou fugir. Em depoimento, o suspeito negou o crime, apesar de imagens do abuso terem sido encontradas em seu celular. Além disso, outras fotos e vídeos íntimos com crianças também estariam no aparelho, segundo os policiais.
 
"A alegação dele é que ele estava passando e a menina pediu uma carona. Ele não admite o crime, mas diz que dormiu com ela na residência dele. Disse também que nesse tempo em que ela esteve na casa dele, a menina apenas assistiu desenho animado na televisão. Mas sabemos que isso é inverídico. Ele não só abusou dela, como obrigou-a a assistir vídeos pornográficos", completa o delegado.
 
Bitencourt não tem nenhuma condenação, mas possui antecedentes por abusos e tentativas de abuso a crianças. Em 2004, ele foi preso por abusar de uma menina de 4 anos. Na ocasião, acabou solto pela Justiça por falta de provas. Na última semana foi flagrado dentro do banheiro feminino de um supermercado da cidade tirando fotografias com o celular.

Segundo suspeito

A menina, cuja identidade não pode ser revelada por ser menor de idade, foi encontrada andando sozinha na rua na madrugada de terça-feira. Ela estava com ferimentos no rosto e, após exames médicos, foi constatado o estupro.
 
Levada de volta ao local por policiais, ela teria identificado a casa e o suspeito. Ela disse, porém, que teve contato com uma segunda pessoa na casa. A polícia tenta identificar se esse outro possível suspeito também participou do crime ou apenas retirou a menina do local do estupro e a deixou na rua, sob ameaça.
 
Após a notícia da prisão de Bitencourt se espalhar, populares incendiaram sua casa no final da noite de terça. Depois disso, cercaram a delegacia da cidade, querendo invadir o local e linchar o suspeito. O preso teve que ser retirado do local sob forte escolta da polícia. Bitencourt foi levado ao Presídio de Osório, também no litoral norte.
 
Na manhã desta quarta-feira, a polícia enviou à Justiça o pedido de prisão preventiva de Bitencourt. Devido ao feriado de Carnaval e do recesso do funcionalismo público, a reportagem tentou, sem sucesso, identificar o defensor do preso para comentar a prisão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos