Polícia prende suspeito de matar morador de rua em Belo Horizonte

Rayder Bragon

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

A Polícia Civil de Minas Gerais informou nesta sexta-feira (12) ter esclarecido o assassinato de um homem, morto por espancamento no centro de Belo Horizonte, e que seria de uma etnia indígena.

Segundo a corporação, Cristiano Barbosa dos Reis, 35 anos e conhecido como "Magrão", é apontado como o autor das agressões sofridas por José Januário da Silva, o "Índio", de 57 anos, morador de rua. Reis foi preso e apresentado à imprensa nesta sexta (12).

A vítima foi golpeada, na madrugada do dia 15 de janeiro deste ano, com chutes na cabeça enquanto estava caída no chão, chegou a ser levada para um hospital, mas morreu em seguida.

O espancamento foi registrado por câmeras de segurança do comércio local. A investigação não confirmou a ascendência indígena atribuída à vítima. Silva era do Estado da Paraíba.

Conforme a assessoria da polícia, uma das causas apontadas para o assassinato de Silva foi que ele estaria atrapalhando a venda de drogas na região central da cidade.

Segundo testemunhas, o homem pode ter sido morto porque se alterava quando supostamente consumia drogas, "causando incômodo à atividade criminosa operada por Cristiano [dos Reis]", trouxe nota da polícia.

Reis foi apontado como o responsável por distribuir os entorpecentes que seriam comercializados na área e teria se irritado com o comportamento apresentado por "Índio".

Outra versão dá conta de o assassinato ter sido motivado por dívida de droga que o homem teria contraído anteriormente com o suspeito.
A polícia disse ter conseguido prender o acusado em razão de uma denúncia anônima, mas não informou onde isso ocorreu. Ele apresentou uma identidade falsa no momento da prisão.

Cristiano Reis será também investigado por um homicídio, cometido em dezembro do ano passado, e uma tentativa de homicídio feita no dia 9 do mês passado.

A delegada Ingrid Estevam, que coordena as investigações, disse que várias testemunhas apontaram Reis como sendo o autor da morte de Índio. Entretanto, ainda segundo a policial, poucas pessoas se dispuseram a denunciá-lo em razão do medo que afirmaram ter do acusado.

"A divulgação do caso pode levar a novas denúncias sobre o envolvimento de Cristiano em outros crimes", afirmou a delegada por meio da assessoria da imprensa. O UOL não localizou nenhum defensor do homem preso.

Câmeras de segurança registraram momento da agressão; assista

  •  

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos