PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Mulher ataca PM de UPP no Complexo do Alemão com seringa contendo sangue

O Alemão é uma das comunidades mais afetadas pelos enfrentamentos entre polícia e criminosos no Rio - Fábio Teixeira/UOL
O Alemão é uma das comunidades mais afetadas pelos enfrentamentos entre polícia e criminosos no Rio Imagem: Fábio Teixeira/UOL

Do UOL, no Rio

29/02/2016 09h41

Um policial da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) Nova Brasília, no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, foi atacado por uma mulher com uma seringa contendo sangue supostamente contaminado com o vírus HIV. A mulher teria se aproximado do carro em que o policial estava para pedir informações. Quando o soldado abriu a janela, ela o atacou com a seringa.

De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, o policial foi atendido e submetido à profilaxia pós exposição ao HIV no Hospital Central da Polícia Militar e está sendo acompanhado pela equipe de infectologia da unidade. O comando da UPP informou que está “avaliando as circunstâncias do ataque e analisando as medidas necessárias para a proteção da tropa”.

Uma mensagem atribuída ao comandante da UPP Nova Brasília, o major Leonardo Gomes Zuma, e encaminhada por Whatsapp por moradores do conjunto de favelas define o ataque como uma “nova tática para atacar os policiais e desestabilizar o moral da tropa das UPPs”.

Formado por 15 favelas e cinco UPPs, o Complexo do Alemão é uma das comunidades mais afetadas pelos enfrentamentos entre polícia e criminosos no Rio. O local foi ocupado primeiro pelas Forças Armadas, em 2010, e depois pela polícia, em 2012.

Cotidiano