Violência no Rio

Não há fundamento para prisão, diz defesa de jogador preso por estupro no RJ

Paula Bianchi

Do UOL, no Rio

  • Pedro Ivo Almeida/ UOL

    Lucas Perdomo Duarte Santos, jogador do Boa Vista acusado de estupro coletivo

    Lucas Perdomo Duarte Santos, jogador do Boa Vista acusado de estupro coletivo

Para Eduardo Antunes, advogado do jogador de futebol Lucas Perdomo Duarte Santos, 20, não há fundamento jurídico para a prisão do atleta. O jogador foi preso na tarde desta segunda-feira (30) por suspeita de participação no estupro coletivo contra uma adolescente na capital fluminense na semana passada.

"A gente não vê fundamento jurídico para essa prisão. Essa questão de foragido não existe. Ele sempre se colocou à disposição da polícia", afirma Antunes. "Ele não tem nada a ver com o estupro. Estava com ela na noite anterior e se relacionou com uma amiga, e o Raí [de Souza] se relacionou com ela. Era um local público, se alguém foi, depois que ele saiu, ele não tem como saber", disse. Raí de Souza também está preso.

Segundo o advogado, o jogador, que é da equipe do Boavista, também não tem relação com o vídeo que mostra a jovem desacordada e teria deixado o local antes do momento da gravação.

Em depoimento à polícia, a vítima -- menor de idade -- disse ter sido drogada e estuprada por um grupo de homens, após ter ido visitar o namorado, o jogador Lucas, em comunidade conhecida por "morro da Barão". Segundo o primeiro relato da jovem às autoridades, quando ela acordou após ser dopada, viu cerca de 30 homens armados de pistolas e fuzis em um imóvel.

O caso ganhou repercussão depois de imagens do ato terem sido vazadas na internet.

Agora responsável pela investigação, a delegada da DCAV (Delegacia da Criança e Adolescente Vítima) Cristina Bento, que substituiu o delegado Alessandro Thiers, titular da DRCI (Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática), declarou nesta segunda-feira que tem certeza da ocorrência de crime. "Minha convicção é de que houve estupro", disse, em entrevista coletiva. "Está lá no vídeo, que mostra um rapaz manipulando a menina".

Seis ordens de prisão foram expedidas pela Justiça. Além de Lucas Santos, Raí de Souza também foi preso. Os outros são Michel Brasil, Raphael Belo, Marcelo Corrêa e Sergio Luiz da Silva Junior. Esse último, também conhecido por "Da Rússia", é apontado como chefe do tráfico do morro da Barão. 

"Eu contei. Eram 33 homens", afirma vítima de estupro coletivo no RJ

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos